Total de visualizações de página

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

"Cabia a ela ser íntegra, ainda que por vezes se perdesse.
Cabia a ela ser inteira, ainda que o coração demais sofresse.
Cabia a ela ser una, ainda que seu sorriso todo chorasse.
Cabia a ela ser cura, ainda que por vezes (se) cortasse.
Cabia a ela ser chegada, ainda que todo dia ela partisse.
Sentia ela ser viva, ainda que pra sempre amanhã morresse.
Sabia ela do infinito, ainda que numa cabana ela morasse.
Sabia ela ter o céu, ainda que no chão amanhecesse.
Sabia ela ser escura, ainda que sombria ela não fosse.
Sabia ela bem sobre o amor, ainda que por hoje esquecida;
Pois tudo isso era ofício da alma: 
Lembrar que o seu nome também era vida."

- Guilherme Antunes


Nenhum comentário:

Postar um comentário