Total de visualizações de página

sábado, 30 de junho de 2018

"Se você não quer aprender, ninguém pode te ajudar.
Se você está determinado a aprender, ninguém pode te parar". 

sexta-feira, 29 de junho de 2018

"[...] em inglês tem se usado a expressão 'minha pessoa' para designar 
nosso duplo do bem, nossa extensão no mundo. [...]

Nossa pessoa no mundo pode ser um parente, um amigo ou um amor. 
É quem melhor decifra o código dos olhares e suporta nossas intermitências. 
Sua vida é o livro de cabeceira dela. Ela é seu HD externo, seu arquivo
 de salvamento, e vice - versa. Vocês devem ter tido brigas feias, 
podem ter se ausentado em momentos cruciais e até ter dado 
provas de insensibilidade, mas tudo isso cicatriza no próximo encontro.

[...] nos subtextos [...] e causos [...] estão as coordenadas 
que dão acesso a um tesouro que somente nossa pessoa no mundo conhece. 
Ele contém as memórias, as coisas que já entendemos e principalmente 
aquilo que teimamos em negar. Para cada parte de nós há uma palavra-chave, 
capaz de abrir o arquivo. Nossa pessoa no mundo é a única que sabe a senha, 
ela lembra mesmo quando nós esquecemos".

- Fragmentos do lindo texto "Sua pessoa no mundo", da maravilhosa Diana Corso, na revista Vida Simples deste mês.
- imagem de Catrin Welz-Stein




quinta-feira, 28 de junho de 2018


"É necessário se espantar, se indignar e se contagiar,
só assim é possível mudar a realidade".

- Nise da Silveira

quarta-feira, 27 de junho de 2018

"Ter o seu tempo não é sobre abandonar tudo, fugir da vida ou desistir de vez.
É sobre respeitar os seus limites, compreender o seu relógio,
e parar de ignorar o que o seu coração tem a dizer".

- Daniel Duarte, de Siga os balões  

terça-feira, 26 de junho de 2018

"(...) como dizia Clarice Lispector, 
'Um dia tinha se passado vinte anos'
Um dia terão se passado quarenta anos, cinqüenta anos, 
e a gente não vai nem saber que viveu, 
por que viveu , como continua vivendo.
“Desperdício” é uma das palavras que mais detesto em nossa língua
e em nossa realidade, desperdício de comida, de dinheiro, 
de esforço, e de vida. 
Desperdício dos afetos, quando enganamos ou traímos.
Quando somos irresponsáveis feito adolescentes eternos,
e não acho graça nenhuma nisso.
Atitudes de crianças e de adolescentes são toleráveis e até graciosas, 
na idade devida. 
Depois ficam chatas, ficam inconvenientes, ficam burras."

- Lya Luft


segunda-feira, 25 de junho de 2018

"O impossível não é um fato consumado. É uma opinião.
Impossível não é uma afirmação. É um desafio.
O impossível é algo potencial. O impossível é algo temporário.
Nada é impossível."

- Muhammad Ali  

domingo, 24 de junho de 2018

"Há um banquete disponível e gratuito desde sempre para cada vida, 
é só entrar no próprio coração, sentar-se à mesa, saborear e nutrir-se. 
Mas, em geral, dirigimos de tal forma os nossos olhos para as iguarias 
que nos faltam que não nos sobra olhar para reconhecer aquelas 
que já estão servidas.
Das armadilhas todas, o foco na escassez 
é uma das mais autossabotadoras que existe".

- Ana Jácomo


sábado, 23 de junho de 2018

"Você sempre foi vencedor.
Nem pense em desistir".

sexta-feira, 22 de junho de 2018

"Sinceridade não é dizer à toa, sem contexto, é aguardar o momento, 
o assunto, a deixa. Não é expor direto, quando está a fim, 
mas quando a outra pessoa também pode ouvir e entender.
É o encontro de duas vontades.
Sinceridade não é se livrar de nossos medos e falar o que vem à cabeça.
Não, o nome disso é precipitação.
É preguiça de se apresentar, de criar intimidade e de atravessar
 todo o caminho do pensamento. É procurar chegar sem viajar, 
desembarcar sem se deslocar. É se livrar da tarefa da conversa.
Sinceridade mesmo é cuidar daquilo que se fala. 
Não atropelar as pessoas com as nossas idealizações.
Despejar nossa vontade não é sinceridade, mas pancadaria".

- Fabrício Carpinejar 


quinta-feira, 21 de junho de 2018

"Li que a saudade define a certeza.
A indiferença, consequentemente, também define o que devemos esquecer".

quarta-feira, 20 de junho de 2018

"[...] não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser indissociáveis da vida: 
SONHAR e RECOMEÇAR.
Sonhe até que aconteça.
E recomece, sempre que for preciso: 
seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares. 
A vida nos dá um espaço de manobra: use-o para reinventar a si mesma". 

- Leila Ferreira




terça-feira, 19 de junho de 2018

"Esqueça o mal que te fizeram,
mas não a lição que você aprendeu"

segunda-feira, 18 de junho de 2018

"Talvez, pior do que a mesmice, seja a sensação de paralisia. 
Pois as coisas nem sempre andam como a gente quer ... 
Só não podemos abrir mão de poder acordar, mesmo após um dia 
onde realmente correu tudo igual, e imaginar que o hoje possa ser diferente. 
E será! Porque mesmo quando tudo parece se repetir, 
a cada dia a nossa vivência, a nossa leitura, será diferente. 
Assim como não nos banhamos duas vezes, nas mesmas águas de um rio, 
também não vivemos dois dias da mesma forma, 
e é justamente esta possibilidade que nos faz buscar 
esta sensação do atingido, do orgasmo vivencial. 
Nunca podemos abrir mão do direito de ser feliz!"

- Placco Araújo


domingo, 17 de junho de 2018

"A única maneira de fazer um bom trabalho é amando o que você faz.
Se você ainda não encontrou, continue procurando.
Não se desespere.
Assim como no amor, você saberá quando tiver encontrado".

- Nelson Mandela

sábado, 16 de junho de 2018

"Quando ninguém comemorar por você, comemore você mesmo.
Quando ninguém te elogiar, faça você mesmo.
Não cabe a todos te dar coragem. Esse é o seu trabalho.
A coragem só pode vir do fundo do seu ser".

- Joel Osteen

sexta-feira, 15 de junho de 2018

"Não pense em como as coisas poderiam ter sido.
Pense em como elas podem vir a ser". 

quinta-feira, 14 de junho de 2018

"Estar na vanguarda de qualquer movimento dói, sangra, machuca. 
Fazer o que todo mundo já faz, o que já é aceito, o que ninguém contesta 
(mesmo que seja uma tremenda idiotice) deixa a vida muito mais confortável. 
Se você tá tentando fazer a diferença e tá só levando pedrada da vida e dos outros, bora fazer isso junto. A gente divide as pedradas e se apoia pra ninguém cair. 
Há missões que precisam ser feitas. Então, façamos!"

- Júlia Rocha


quarta-feira, 13 de junho de 2018

"Como julgar a intensidade da dor de uma pessoa se não foi você quem se machucou?
Realidade é relativa. Cada um tem a sua forma de sentir e de demonstrar".

- Guilherme Givisiez

terça-feira, 12 de junho de 2018

"Sentir que somos cuidados e amados faz um bem incrível, tanto para quem recebe amor 
quanto para quem dá".

segunda-feira, 11 de junho de 2018




"Se você está correndo atrás de alguém, você está fugindo de você.

Não confunda ego, autoafirmação, ou carência, com amor.

Não confunda a tua suposta idealização com um sentimento que não existe.

Dê meia volta e corra pra você".



- ByNina 

domingo, 10 de junho de 2018

"Que o ontem me sirva de experiência,
o amanhã me sirva de esperança ...
Mas o hoje me sirva como melhor presente".


sábado, 9 de junho de 2018

"O melhor presente que podemos oferecer ao mundo é nossa própria transformação".

sexta-feira, 8 de junho de 2018

"Existem duas dores de amor. A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão envolvidos que não conseguimos ver luz no fim do túnel.
A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.
Você deve achar que eu bebi. Se a luz está sendo vista, adeus dor, não seria assim? Mais ou menos. Há, como falei, duas dores. A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por ninguém. Dói também.
Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um suvenir de uma época bonita que foi vivida, passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação com a qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente e que só com muito esforço é possível alforriar.
É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a dor-de-cotovelo propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: eu amo, logo existo.
Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente.
E só então a gente poderá amar, de novo".

- Martha Medeiros


quinta-feira, 7 de junho de 2018


"E no fundo, o amor que você dá é o amor que você quer receber"
- The Beatles 

quarta-feira, 6 de junho de 2018

As maravilhas de cada mundo

Tenho uma amiga chamada Azaleia, que simplesmente gosta de viver. Viver sem adjetivos. É muito doente de corpo, mas seus risos são claros e constantes. Sua vida é difícil, mas é sua.
Um dia desses me disse que cada pessoa tinha em seu mundo sete maravilhas. Quais? Dependia da pessoa.
Ela então resolveu classificar as sete maravilhas de seu mundo.
Primeira: ter nascido. Ter nascido é um dom, existir, digo eu, é um milagre.
Segunda: seus cinco sentidos que incluem em forte dose o sexto. Com eles ela toca e sente e ouve e se comunica e tem prazer e experimenta a dor.
Terceira: sua capacidade de amar. Através dessa capacidade, menos comum do que se pensa, ela está sempre repleta de amor por alguns e por muitos, o que lhe alarga o peito.
Quarta: sua intuição. A intuição alcança-lhe o que o raciocício não toca e que os sentidos não percebem.
Quinta: sua inteligência. Considera-se uma privilegiada por entender. Seu raciocínio é agudo e eficaz.
Sexta: a harmonia. Conseguiu-a através de seus esforços, e realmente ela é toda harmoniosa, em relação ao mundo em geral, e a seu próprio mundo.
Sétima: a morte. Ela crê, teosoficamente, que depois da morte a alma se encarna em outro corpo, e tudo começa de novo, com a alegria das sete maravilhas renovadas.

- Clarice Lispector em Aprendendo a viver (p. 71).


terça-feira, 5 de junho de 2018


"Eu tinha muito do que reclamar, mas daí pensei comigo mesmo - se o barco 
está chacoalhando tanto, é porque está saindo do lugar. 
Só existe calmaria para quem se dá por vencido e desiste de remar".

- Matheus Rocha

segunda-feira, 4 de junho de 2018

"Me diz uma menina-flor que cansa ter que ser forte o tempo todo. E eu queria dizer que a entendo, de coração. Que às vezes, a gente sabe que é capaz de ter essa fortaleza toda, mas não queria ter que se superar o tempo todo. Que ser cuidada é muito bom - ter alguém pra pedir colo, pra estender a mão, alguém que diga: "Não se preocupe, eu cuido disso pra você, tudo vai dar certo" ou que esteja, de verdade, ao seu lado.
Mas, menina-flor, algumas pessoas não tem essa opção, pelo menos, não todas as vezes ... E eu não sei explicar o motivo. 
De coração, eu acredito que um dia o sentido disso tudo vai ficar claro. E enquanto isso, só nos cabe continuar. Chorar quando tiver vontade, sim, mas olhar o que há de flor no meio das pedras do caminho".

- Psicóloga Luciana Cescon

"...E, perante os olhos intimadores dos homens e de tamanha curiosidade, ela levantou a cabeça e mostrou que não era uma boneca de porcelana, mas que podia ser quebrada várias vezes e que sempre conseguia se juntar sem perder nenhum dos pedaços."

(Desconheço o autor)


domingo, 3 de junho de 2018

"Muitas das emoções mais intensas surgem durante a formação, manutenção, ruptura e renovação das relações de apego. A formação de um laço é descrita como apaixonar-se por alguém, a manutenção do laço como amar alguém e a perda de uma pessoa querida como sofrer por alguém. Da mesma forma, a ameaça de perda provoca ansiedade e a perda real dá origem à tristeza; todas essas situações podem provocar a raiva. A manutenção inquestionável de um laço é experienciada como uma fonte de segurança, e a sua renovação, como uma fonte de alegria". 

- BOWLBY em Perda: Tristeza e depressão (p. 39-40).




sábado, 2 de junho de 2018

"Embora saibamos que depois de uma perda dessas o estado agudo de luto abrandará, sabemos também que continuaremos inconsoláveis e não encontraremos nunca um substituto. Não importa o que venha a preencher a lacuna, e, mesmo que esta seja totalmente preenchida, ainda assim alguma coisa permanecerá. E, na verdade, assim deve ser. É a única maneira de perpetuar aquele amor que não desejamos abandonar". 
 - Sigmund Freud em carta a um amigo que perdera um filho.

Em: Bowlby em "Perda: tristeza e depressão" (p. 21)



sexta-feira, 1 de junho de 2018

"À medida que um indivíduo se torna capaz de assumir a sua própria experiência, caminha em direção à aceitação da experiência dos outros. Ele aprecia e valoriza
tanto a sua experiência como a experiência dos outros por aquilo que elas são.

Citando Maslow: 'Ninguém se queixa da água por ser úmida, nem das rochas por serem duras ... Como a criança olha para o mundo com uns grandes olhos inocentes 
e que não criticam, limitando-se simplesmente a observar e a reparar no que se passa, sem raciocinar nem perguntar se poderia ser de outra maneira,
assim o indivíduo auto-realizado olha para a natureza humana
tanto em si quanto nos outros".

- Carl Rogers in "Tornar-se pessoa" (p. 154)