Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de março de 2017

"Que possamos dar as mãos mediante os problemas cotidianos. 
Que os sonhos não fiquem dormindo no travesseiro, 
enquanto a vida voa escancarada lá fora.
Que possamos abrir os olhos com a certeza 
que faremos algo melhor para o próximo. 
Que a jaula chamada ingratidão fique longe das nossas conversas, 
dos nossos destinos.
Que todos usem palavras doces mesmo que por um segundo no dia. 
Que os olhos enxerguem a paz envolta no coração das pessoas 
através de atitudes benevolentes.
Que sejamos crianças coradas e sapecas por minutos, 
antes que o tempo se encarregue de nos fazer esquecer o quão maravilhoso 
é o perfume da inocência nas mãos."

- Ju Fuzetto




quinta-feira, 30 de março de 2017

"Com a autorização de Pedro, procurei o psiquiatra dele para uma conversa. Ele foi de uma honestidade rara. Perguntei a ele porque receitava psicofármacos para gente como Pedro. 

'Porque vivemos num mundo em que as pessoas não têm tempo para elaborar o que é do humano. Muitas vezes eu me deparo com essa situação no consultório. Vejo uma pessoa ali me pedindo antidepressivo porque não consegue mais trabalhar, não consegue mais tocar a vida. Eu sei que ela não consegue mais trabalhar nem tocar a vida porque é a sua vida que se tornou impossível, porque precisa de um tempo que não tem para elaborar o vivido. É óbvio que não é possível, por exemplo, elaborar um luto ou uma separação em uma semana e seguir em frente como se nada tivesse acontecido. Assim como não é possível viver sem dúvidas, sem tristezas, sem frustrações. Tudo isso é matéria do humano, mas o ritmo da nossa vida eliminou os tempos de elaboração. Essa pessoa não é doente – é a vida dela que está doente por não existir espaço para vivenciar e elaborar o que é do humano. Só que esse cara precisa trabalhar no dia seguinte e produzir bem ou vai perder o emprego. Então eu dou o antidepressivo e faço um acompanhamento sério, com psicoterapia, para que esse cara possa dar um jeito na vida e parar de tomar remédios. É um dilema e não tem sido fácil lidar com ele, mas é neste mundo que eu exerço a profissão de psiquiatra. Porque no tratamento da depressão, de verdade, a doença, de fato, é muito difícil obter resultados, mesmo com os medicamentos atuais. Assim como outras doenças psíquicas, quando são doenças mesmo. Os resultados são muito mais lentos – e às vezes não há resultado nenhum. A maioria das pessoas que estamos medicando hoje não é doente. E por isso o resultado é rápido e parece altamente satisfatório. Estas pessoas só precisam dar conta de uma vida que um humano não pode dar conta.' 


- Eliane Brum em "Você consegue viver sem drogas legais?"




quarta-feira, 29 de março de 2017

"Ao buscarmos a perfeição, perseguindo o ser ideal, ao invés de um ser humano real, renegando o nosso eu, ficamos presos a um modelo quase impossível 
de se atingir e nos sobrecarregamos em alimentar a nossa vaidade sem, de fato,
 nos ocuparmos em cumprir a nossa missão de vida, que é o propósito para o qual estamos aqui".

- Anderson Mendes in "Depressão não é frescura" (p. 42)  


terça-feira, 28 de março de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

"Ofereço principalmente as minhas dúvidas, porque são as dúvidas 
que nos levam a lugares novos, as certezas nos cimentam. [...]
É pelos incômodos e pelas dúvidas que nos tornamos 
capazes de viver várias vidas numa só" 

- Eliane Brum in "A menina quebrada" (p. 16-18).






domingo, 26 de março de 2017


"O louco, o amoroso e o poeta estão sempre recheados de imaginação".

-William Shakespeare


sábado, 25 de março de 2017

"[...] E me preocupo muito em não ser uma coisa só, 
como um daqueles gênios presos em uma garrafa, 
que só realizam o desejo dos outros. Me esforço então 
para desfazer rótulos sobre mim mesma - e faço caretas 
para não ficar cristalizada em uma só imagem no espelho, o privado e o público. Nesse momento da vida, a gente pode descobrir que é tão importante
 se desinventar como foi um dia se inventar".
  
- Eliane Brum in "Não, a vida não começa aos 40"



sexta-feira, 24 de março de 2017

"Eu sobrevivo de bobagens. Não cresci realmente, 
acho que minhas idéias é que ficaram altas, 
minha aquarela mais colorida e meus dedos ainda mais lambuzados de sonhos."

- Renata Fagundes


quinta-feira, 23 de março de 2017

"Que a gente saiba discernir o que é dito para o nosso bem 
e o que é colocado para nos ferir.
E que possamos dar ouvidos somente ao que acrescente e melhora.

- Fabíola Simões






quarta-feira, 22 de março de 2017

"A energia que você desperdiça responsabilizando os outros pelo que você sente 
é a mesma que poderia ser usada para criar beleza em sua vida."

- Patrícia Gebrim


terça-feira, 21 de março de 2017

"A percepção de si e do mundo é a fonte do sofrimento humano e de sua grandiosidade: ver, enxergar, interpretar.
Por meio do pensamento o homem sofre, mas é também por meio dele
que vai além de si mesmo e se supera".

- Viviane Mosé

Patchwork de Sandra Freitas

segunda-feira, 20 de março de 2017


"A gente inventa inúmeras maneiras para revestir o coração com isolamento acústico para evitar ouvi-lo. A gente faz de conta que a vida é assim mesmo e ponto. Até o dia em que a alma, cansada de não ser olhada, encontra o seu jeito de ser vista e de dizer quem é que manda. De qualquer forma nua, crua totalmente livre."

- Ana Jácomo


domingo, 19 de março de 2017

"Winnicott, em sua conferência sobre psicanálise e culpa, discutiu o papel vital, no desenvolvimento humano, do desenvolvimento de uma capacidade saudável para sentir culpa. Deixou claro que a capacidade para experimentar um sentimento de culpa constitui atributo necessário da pessoa saudável. Embora seja desagradável, como a dor física e a ansiedade, é biologicamente indispensável e constitui parte do preço que pagamos pelo privilégio de sermos seres humanos. Mostra, depois, como a capacidade para sentir culpa “implica que a ambivalência seja tolerada” e uma aceitação da responsabilidade pelo nosso amor e o nosso ódio".

- Bowlby


"Porque eu sou feita de um tecido de gente que na dor se desintegra e na felicidade se recompõe inteira.
Bom é que apesar da minha alma se esgarçar de tempos em tempos, vem sempre ao encontro uma mão habilidosa para recompor os meus fios, um a um.
Às vezes em forma de gente, às vezes em forma de esperança".

- Érica Gaião 



sábado, 18 de março de 2017

"A mente humana tem habilidades incríveis.
Que você aprenda a caminhar dentro de si e explorá-las.
E se caminhar não tenha medo de se perder.
E se perder-se não tenha medo de mudar rotas.
E se mudar, repense sua vida, mas não desista.
Dê sempre uma nova chance para si mesmo".


- Augusto Cury 



sexta-feira, 17 de março de 2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

"Viver, essa difícil alegria. Viver é jogo, é risco. Quem joga pode ganhar ou perder . 
O começo da sabedoria consiste em aceitarmos que perder 
também faz parte do jogo. Quando isso acontece, ganhamos algo 
extremamente precioso: ganhamos nossa possibilidade de ganhar. [...] 
Quando a gente chega a aceitar, com verdadeira e profunda humildade, 
as regras do jogo existencial, viver se torna mais do que bom - se torna fascinante.

Viver bem é consumir-se, é queimar os carvões do tempo que nos constitui. 
Somos feitos de tempo, e isso significa: somos passagem, somos movimento 
sem trégua, finitude. A cota da eternidade que nos cabe está encravada no tempo. 
É preciso garimpá-la, com incessante coragem, para que o gosto do seu ouro 
possa fulgir em nosso lábio. Se assim acontece, somos alegres e bons, 
e a nossa vida tem sentido".


- Hélio Pellegrino citado por Eliane Brum in "A menina quebrada"(p. 35-36).


Imagem: Kate Winslet in Titanic


quarta-feira, 15 de março de 2017

"A alegria não chega apenas no encontro do achado, 
mas faz parte do processo da busca. 
E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, 
fora da boniteza e da alegria".

- Paulo Freire in "Pedagogia de Autonomia".


terça-feira, 14 de março de 2017

"Mas qual a necessidade psicológica que atrai pessoas para os grupos de encontro?  Creio que seja uma fome de qualquer coisa que a pessoa não encontra no seu ambiente de trabalho,  na sua igreja,  e com certeza também não na sua escola ou universidade,  nem mesmo, infelizmente,  não na moderna vida de família.  

É uma fome de relações próximas e verdadeiras,  
onde sentimentos e emoções se possam manifestar espontaneamente,  
sem primeiro serem cuidadosamente censurados ou dominados; 
onde experiências profundas - decepções e alegrias -se possam mostrar;  
onde se arrisquem novas formas de comportamento e se levem até o fim; 
onde,  numa palavra,  a pessoa atinja a situação onde tudo é  conhecido e aceito, 
 e assim se torne possível uma maior evolução.  

Parece ser esta a fome poderosa que se espera satisfazer 
através das experiências num grupo de encontro ".

- Carl Rogers in "Grupos de encontro " (p. 21)



segunda-feira, 13 de março de 2017

"Um facilitador pode desenvolver, num grupo que se reúne intensivamente, um clima psicológico de segurança na qual a liberdade de expressão e a redução de defesas progressivamente se verifiquem.
Em tal clima psicológico, muitas das reações imediatas de cada membro em relação aos outros, e de cada membro em relação a si próprio, tendem a expressar-se.
Desenvolve - se, a partir desta liberdade mútua de expressar os sentimentos reais, positivos e negativos, um clima de confiança mútua. Cada membro caminha para uma maior aceitação do seu ser global - emotivo, intelectual e físico - tal como ele é, incluindo as suas potencialidades".


- Carl Rogers in "Grupos de encontro"(p. 17).
Porque crescemos nos encontros.


"Para compensar a dor humana, o céu providenciou
 dar ao homem três grandes dons:
o sonho, o sorriso e a esperança.

- Kant


domingo, 12 de março de 2017

"Estamos constantemente nos relacionando com nós mesmos. 
Por isso, nada que os outros projetem para você, é pessoal. 
Se gostam de você, se não gostam, se criticam ou aplaudem, você é só o espelho, assim como os outros são espelhos para você. 
Então, quando sentir o desafeto de alguém em relação a você, 
ou estiver projetando no outro alguma emoção negativa, 
procure no seu próprio armário, aquele fechado a sete chaves, 
e observe o que não esta aceitando em si mesmo. 
Deixe cair as máscaras que o ego tão prontamente usa e vá além da personalidade. Somente a luz da consciência dissolve os espaços escuros 
e restaura a conexão entre todas as nossas partes."

- Charumati Prem





sábado, 11 de março de 2017

"Não me interessa um tempo comigo 
quando posso dividir a eternidade com alguém."

- Fabrício Carpinejar

Imagem do filme "O lado bom da vida"


sexta-feira, 10 de março de 2017

"O amigo é o olho que nos dá sentido, sem nos aprisionar. 
É a certeza da compreensão antecipada; do apreço atento, 
da surpresa infantil e do riso acolhedor. 
O amigo é a certeza da empatia, da comunhão, da condução e do suspiro. 
Amigo é adivinhação e apesar de. 
É transformação simultânea e um eterno conciliar, 
em poesia, de impossibilidades prosas. 
O amigo é a virilidade impotente de uma eternidade finita e fugaz. 
O amigo é o que há, em meio ao não-ser irredutível de todos nós. 
A amizade é a mais sublime ficção humana 
na qual reside o melhor do que jamais seremos".

- Artur da Távola




quinta-feira, 9 de março de 2017

"Se você olhar através da dor como quem olha através dos vidros de uma janela,
você vai terminar por não ver a dor,
mas a vida que nos espera mais além".

- Clemente Sobrado 


quarta-feira, 8 de março de 2017

"A beleza de uma mulher deve ser vista nos seus olhos, 
porque esta é a porta para seu coração, o lugar onde o amor reside." 

- Audrey Hepburn


terça-feira, 7 de março de 2017

"Tenho todos os medos em mim, menos o medo de ter medo. Prefiro fazer as coisas do meu jeito e cometer meus próprios erros. Tanto quanto os acertos, os erros também devem nos pertencer. Temos uma vida só, mas, dentro dessa, podemos viver muitas. E eu quero todas as minhas".

- Eliane Brum in "A menina quebrada", p. 21


Trazido pra cá do meu Facebook, de hoje:

Eu tenho esse blog desde 2010, onde publico diariamente há algum tempo 
(além do falandosobresuicidio.blogspot.com.br).
E costumo ir programando postagens, quando tenho tempo de selecionar frases e imagens ... como estou fazendo hoje.

E às vezes fico pensando ... "...e se eu morrer inesperadamente? Quantas postagens ficarão ainda indo ao ar? Qual vai ser aquela do dia da minha morte? Vai ter algo a ver com esse evento?"

...

Das coincidências da morte ...

E seguindo esse pensamento, lembro de quando perdemos um grande amigo da família, praticamente um tio, alguém que me ensinou a andar de bicicletas sem rodinhas e me trouxe para ver o mar muitas vezes durante a minha infância, em 1992, por suicídio (embora na época eu e minha mãe não quiséssemos acreditar que ele tivesse morrido pelas próprias mãos), eu lembro que no meio do velório fomos tomar um café ...
Era a minha primeira experiência de morte de uma pessoa muito querida ...
E, no auge dos meus 16 anos, de repente me veio o pensamento: "Imagino qual será a primeira música que eu vou ouvir depois disso, que talvez marque esse momento pra sempre" - porque a música, desde sempre, me traduzia e me salvava.

E quando entramos no café, tocava "Aonde você mora", do Cidade Negra:

"Amor igual ao teu eu nunca mais terei ...
amor que eu nunca vi igual, que eu nunca mais verei ...
[...] Você vai chegar em casa
eu quero abrir a porta.
Aonde você mora, aonde você foi morar?
Não quero estar de fora
aonde está você,
EU TIVE QUE IR EMBORA
MESMO QUERENDO FICAR ..."

(e essa, principalmente, me pareceu a voz dele, vindo de algum lugar do mundo das misteriosas sincronicidades da vida).
E eu me lembrei de tudo isso hoje, programando os posts do meu blog, que talvez um dia durarão mais do que eu.

"Esquisita" é sempre a palavra que melhor me define (de acordo com pessoas próximas hahaha).
Mas quem viver, verá.

Em memória de Joaquim.




Texto da imagem: "Tentaram nos enterrar, mas não sabiam que éramos sementes".
- Ditado mexicano.

segunda-feira, 6 de março de 2017

"Mas o amor é risco, e o amor é dor. Ame qualquer coisa viva e ela perecerá. 
O preço do amor é a dor. Se não estivermos determinados a correr o risco de sofrer, então devemos deixar de lado muitas coisas: casar, ter filhos, o êxtase do sexo, 
a esperança da ambição, amizade, alegria e amor – tudo que dá existência a vida, sentido e significado.

Mude em qualquer dimensão, e a dor, bem como a alegria, serão sua recompensa. Uma vida plena,a qualquer instante, será plena de dor e de alegria. 
A essência da vida é a mudança. Escolha a vida e o crescimento 
e você escolhe a mudança, a perspectiva da morte. 
Não tema aquilo que você não entende.

Se pudermos viver com a informação de que a morte e nossa companhia constante, viajando sobre nosso ombro esquerdo, então ela poderá se tornar nossa aliada, ainda temível, mas sempre uma fonte de sabedoria. 
Com os conselhos da morte, a consciência permanece no limite de tempo 
de que dispomos para viver e amar, poderemos sempre ser orientados 
para aproveitar melhor nosso tempo 
e viver a vida plenamente".

Carta publicada no livro "Depois do suicídio: apoio às pessoas em luto", 
de Sheila Clark.



domingo, 5 de março de 2017

sábado, 4 de março de 2017

sexta-feira, 3 de março de 2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

"As pessoas acham que liberdade tem a ver com partidas,
quando na verdade, liberdade
tem a ver com lindas permanências".

- Leandro Freitas


quarta-feira, 1 de março de 2017

"[ ...] eis aí a grande lição do acolhimento amoroso: para receber bem é preciso sair da nossa zona de conforto e estar disponível para o outro. Também é bom aceitar com naturalidade o fato de que quem chega pode perturbar nossa comodidade, mas que mesmo assim vale a pena dar abrigo. Vencida a resistência inicial e a preguiça, o coração fica feliz com isso". 

- Liane Alves in "Saiba acolher" - Revista Vida Simples
Fevereiro de 2017.