Total de visualizações de página

sábado, 31 de março de 2012

Felicidade ...


"Se quer viver uma vida feliz, amarre-se a uma meta, não às pessoas nem ou coisas. "

- Albert Einstein

sexta-feira, 30 de março de 2012

Oportunidades



"As oportunidades para procurar forças mais profundas em nós mesmos vêm quando a vida parece mais desafiadora."

- Joseph Campbell

quinta-feira, 29 de março de 2012

Mudando


"Comece desafiando suas próprias suposições. 
Suas suposições são suas janelas no mundo. 
Esfregue-as de vez em quando, ou a luz não entrará."

- Alan Alda

quarta-feira, 28 de março de 2012

Medo



"Você ganha forças, coragem e confiança a cada experiência em que você enfrenta o medo. você tem que fazer exatamente aquilo que acha que não consegue."

- Eleanor Roosevelt

terça-feira, 27 de março de 2012

Sobre a Esperança


"A esperança se adquire. Chega-se à esperança através da verdade, pagando o preço de repetidos esforços e de uma longa paciência. Para encontrar a esperança é necessário ir além do desespero. Quando chegamos ao fim da noite, encontramos a aurora."

- Georges Bernanos

segunda-feira, 26 de março de 2012

Escutar




“…As pessoas não escutam porque escutar é se arriscar. É se abrir para a possibilidade do espanto. Escancarar-se para o mundo do outro – e também para o outro de si mesmo.

Escutar é talvez a capacidade mais fascinante do humano, por que nos dá a possibilidade de conexão. Não há conhecimento nem aprendizado sem escuta real. Fechar-se à escuta é condenar-se à solidão, é bater a porta ao novo, ao inesperado.

Escutar é também um profundo ato de amor. Em todas as suas encarnações. Amor de amigos, de pais e de filhos, de amantes. Nesse mundo em que o sexo está tão banalizado, como me disse um amigo, escutar o homem ou mulher que se ama pode ser um ato muito erótico. Quem sabe a gente não experimenta?

Escutar de verdade implica despir-se de todos os seus preconceitos, de suas verdades de pedra, de suas tantas certezas, para se colocar no lugar do outro. Seja o filho, o pai, o amigo, o amante. E até o chefe ou o subordinado. O que ele realmente está me dizendo?

Observe algumas conversas entre casais, famílias. Cada um está paralisado em suas certezas, convicto de sua visão de mundo. Não entendo por que se espantam que ao final não exista encontro, só mais desencontro. Quem só tem certezas não dialoga. Não precisa. Conversas são para quem duvida de suas certezas, para quem realmente está aberto para ouvir – e não para fingir que ouve. Diálogos honestos têm mais pontos de interrogação que pontos finais. E “não sei” é sempre uma boa resposta.

Escutar de verdade é se entregar. É esvaziar-se para se deixar preencher pelo mundo do outro. E vice-versa. Nesta troca, aprendemos, nos transformamos, exercemos esse ato purificador da reinvenção constante. E, o melhor de tudo, alcançamos o outro. Acredite: não há nada mais extraordinário do que alcançar um outro ser humano. Se conseguirmos essa proeza em uma vida, já terá valido a pena.

Escutar é fazer a intersecção dos mundos. Conectar-se ao mundo do outro com toda a generosidade do mundo que é você. “

Texto: Eliane Brum (Revista Época)

Aprendendo


"Eu lembro a mim mesmo toda manhã: nada que eu disser neste dia me ensinará coisa alguma. Portanto se eu pretendo aprender, devo fazê-lo através de ouvir."

- Larry King

domingo, 25 de março de 2012

Provérbio


"O ontem é apenas um sonho
E o amanhã é só uma visão:
O hoje, quando bem vivido,
Transforma todo o ontem em um sonho de felicidade
E todo amanhã em uma visão de esperança.

Portanto, cuide bem do dia de hoje!"

Provérbio sânscrito

sábado, 24 de março de 2012

Fato!


"Se você se acha muito pequeno para fazer a diferença, você nunca esteve na cama com um mosquito. "

- Betty Reese

Ninguém


"Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás para atravessar o rio da vida – ninguém, exceto tu, só tu."

Friedrich Nietzsche

sexta-feira, 23 de março de 2012

Contardo Calligaris


"O maior ato de coragem é a coragem de amar.
O amor é o grande agente de transformação, em todos os sentidos.
Se nos transformamos em alguma medida na infância, é pelo amor dos pais.
Se nos transformamos numa terapia é por amor de transferência pelo terapeuta.
Se nos transformamos numa amizade, é pelo amor pelo amigo.
O amor é o grande motor da transformação".

- Contardo Calligaris

quinta-feira, 22 de março de 2012


"Você deveria ser capaz de estar só, completamente só e, ainda assim, tremendamente feliz. Então, você pode amar. Então, seu amor não é mais uma necessidade, mas um compartilhar, não mais é uma carência. Você não se tornará dependente das pessoas que você ama. Você compartilhará – e compartilhar é bonito. Esta é a diferença entre relacionar-se e relacionamento: relacionamento é uma coisa: você se apega a ele; relacionar-se é um fluxo, um movimento, um processo. Você encontra uma pessoa e você ama, porque você tem muito amor disponível." 

- Osho



O Todo


"Discípulo consulta o Mestre Zen. Estava pronto para resolver uma situação de vida
deixando tudo para trás.

Mestre diz:
- Quando terminar de dar o banho da criança na banheira, cuidado para quando for
jogar a água fora, não jogar a criança junto."

Em muitas ocasiões da vida nós queremos nos livrar de uma situação, de um relacionamento, de qualquer coisa, abandonando-a, certo de que estamos fazendo o melhor.

Não lembramos que, junto com as partes que não estão indo bem, existem outras que estão. Se abandonamos, tudo vai junto.
Perdemos o que nos incomodava, mas também perdemos o que era importante.
Por isto, é melhor ponderar bem, antes de simplesmente se desfazer da coisa que incomoda."

quarta-feira, 21 de março de 2012

viver


"Viver é como andar de bicicleta: é preciso estar em constante movimento 
para manter o equilíbrio." 

Einstein

Lição de Esperança


"Amanhã fico triste… amanhã!

Hoje não… Hoje fico alegre !

E todos os dias, por mais amargos que sejam, eu digo:

Amanhã fico triste, hoje não…"

- Poema encontrado na parede de um dos dormitórios de crianças do Campo de Extermínio de Auschwitz.

terça-feira, 20 de março de 2012

Amor


"O diálogo que leva ao amor dá a cada um a vontade de se arriscar, 
não surge da sedução e do charme, mas da coragem 
de se apresentar por nossas falhas, feridas e perdas."

- Contardo Calligaris

segunda-feira, 19 de março de 2012

Persistir


"Meu maior defeito, nos tranquilos dias da infância, consistia em desanimar com demasiada facilidade quando uma tarefa qualquer me parecia difícil. Eu podia ser tudo, menos um menino persistente.
Foi quando, numa noite, meu pai entregou-me uma tabuazinha de pequena espessura e um canivete, e me pediu que, com este, riscasse uma linha a toda largura da tábua. Obedecí a suas instruções, e, em seguida, tábua e canivete foram trancados na escrivaninha de papai.
A mesma coisa foi repetida todas as noites seguintes; ao fim de uma semana eu não agüentava mais de curiosidade.
A história continuava. Toda noite eu tinha que riscar com o canivete, uma vez, pelo sulco que se aprofundava.
Chegou afinal um dia em que não havia mais mais sulco. Meu último e leve esforço cortara a tábua em duas.
Papai olhou longamente para mim, e depois disse:
- Você nunca acreditaria que isto fosse possível, com tão pouco esforço, não é verdade? Pois o êxito ou fracasso de sua vida não depende tanto de quanta força você põe numa tentativa, mas da persistência no que faz.
Foi essa uma lição-de-coisas impossivel de esquecer, e que mesmo um garoto de dez anos podia aproveitar."

N. Semonoff

domingo, 18 de março de 2012

Hoje


- Quando a tristeza chega, o que acontece? Você a manda embora?

"Não!... Vou até o fim do tacho, porque se eu não fico de braços dados com ela, não me livro dela. Não vou me distrair para fugir dela. Quando vem o sofrimento, a dor, eu quero ir até o fim. Senão, vou ficar brincando de viver, e não quero essa brincadeira. Quero é viver."

[Adélia Prado, em Entrevista]


sábado, 17 de março de 2012

A Caminhada





"Sei que a minha caminhada tem um destino e uma direção,
por isso devo medir meus passos, prestar atenção no que faço
e no que fazem os que por mim também passam ou pelos quais passo eu...

Que eu não me iluda com o ânimo
e o vigor dos primeiros trechos, porque
chegará o dia em que os pés não terão tanta força
e se ferirão no caminho e se cansarão mais cedo...

Todavia, quando o cansaço houver,
que eu não me desespere e acredite que ainda terei forças para continuar,
principalmente quando houver quem me auxilie...

É oportuno que, em meus sorrisos,
eu me lembre de que existem os que choram, que, assim,
meu riso não ofenda a mágoa dos que sofrem:
por outro lado, quando chegar a minha vez de chorar,
que eu não me deixe dominar pela desesperança,
mas que eu entenda o sentido do sofrimento,
que me nivela, que me iguala, que torna todos os homens iguais...

Quando eu tiver tudo, farnel e coragem, água no cantil,
e ânimo no coração, bota nos pés e chapéu na cabeça,
e, assim, não temer o vento e o frio, a chuva e o tempo.
Que eu não me considere melhor do que aqueles que ficarão atrás,
porque pode vir o dia em que nada terei
mais para minha jornada e aqueles,
que ultrapassei na caminhada, me alcançarão
e também poderão fazer como eu fiz e nada de fato fazer por mim,
que ficarei no caminho sem concluí-lo...

Quando o dia brilhar, que eu tenha vontade de ver a noite
em que a caminhada será mais fácil e mais amena; quando for noite,
porém se a escuridão tornar mais difícil a chegada,
que eu saiba esperar o dia como aurora, o calor como bênção...
Que eu perceba que a caminhada sozinho pode ser mais rápida,
mas muito mais vazia...Quando eu tiver sede,
que encontre a fonte no caminho,
quando eu me perder, que ache a indicação, a seta, a direção...
Que eu não siga os que desviam,
mas que ninguém se desvie seguindo os meus passos...
Que a pressa em chegar não me afaste da alegria de ver as flores simples
que estão a beira da estrada,
que eu não perturbe a caminhada de ninguém,
que eu entenda que seguir faz bem, mas que, às vezes,
é preciso ter-se a bravura de voltar atrás
e recomeçar e tomar outra direção...

Que eu não caminhe sem rumo,
que eu não me perca nas encruzilhadas,
mas que eu não tema os que assaltam-me, os que embuçam,
mas que eu vá onde devo ir e,
se eu cair no meio do caminho,
que fique a lembrança de minha queda para impedir
que outros caiam no mesmo abismo...
Que eu chegue, sim, mas, ainda mais importante,
que eu faça chegar quem me perguntar,
quem me pedir conselho,
e acima de tudo, me seguir, confiando em mim!

Ponsancini

sexta-feira, 16 de março de 2012


“Eu não posso mudar a direção do vento, 
mas eu posso ajustar as minhas velas para sempre alcançar o meu destino.” 

- Jimmy Deam

A grandeza do mar


"Você sabe por que o mar é tão grande?
Tão imenso?
Tão poderoso?
É porque teve a humildade de colocar-se alguns centímetros abaixo de todos os rios.
Sabendo receber, tornou-se grande.

Se quisesse ser o primeiro, centímetros acima de todos os rios, não seria mar, mas sim uma ilha.
Toda sua água iria para os outros e estaria isolado.
A perda faz parte.
A queda faz parte.
A morte faz parte.

É impossível vivermos satisfatoriamente.
Precisamos aprender a perder, a cair, a errar e a morrer.
Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.
Impossível viver sem saber viver.

Se aprenderes a perder, a cair, a errar, ninguém mais o controlará.
Porque o máximo que poderá acontecer a você é cair, errar e perder.
E isto você já sabe.

Bem aventurado aquele que já consegue receber com a mesma naturalidade o ganho e a perda, o acerto e o erro, o triunfo e a queda, a vida e a morte."

- Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 15 de março de 2012

Decida!


"Seja em relógios, em caixinhas de música, no movimento das galáxias ou na sua vida, as regras são exatamente as mesmas. Pequenas alavancas, pequenas engrenagens, pequenas forças, todas unidas, fazem girar todo o nosso Universo e, em grande parte, fazem surgir nosso destino.

Muitas engrenagens podem criar pequenos movimentos positivos que, com o tempo, se tornam enormes. Um olhar, entre dois enamorados, pode ser uma pequena engrenagem positiva que mudará destinos e futuros; um livro, pode ser uma pequena engrenagem positiva que abrirá portas ilimitadas; um sorriso verdadeiro, pode ser uma pequena engrenagem positiva que mudará o dia e a vida de pessoas que você nem mesmo sabe que existem;

Por outro lado, muitas engrenagens podem criar pequenos movimentos negativos. Álcool, drogas e violência sempre começam como pequenas engrenagens (ironicamente, aceitas socialmente) e crescem, ao ponto de transformarem vidas. Para pior, muito pior.

Coloque em movimento as engrenagens que potencializarão seu sucesso e sua felicidade. O importante, realmente, é começar. É colocar as pequenas engrenagens para funcionar na direção certa. AGORA. Uma decisão tem o poder de iniciar o movimento do Universo a seu favor.

Decida estar ao lado da pessoa certa na sua vida; decida ser a pessoa certa de se estar ao lado; decida desligar a televisão e ler algo que possa chacoalhar sua mente; decida fazer o curso, ou o workshop, que tornará você mais capaz, mais hábil, mais completo como pessoa ou como profissional; decida não entrar no jogo dos perdedores, dos maria-vai-com-as-outras, dos que não entendem como funciona a natureza. Decida mandar na sua vida e no seu destino.

Decida o que você diz para as outras pessoas; decida o silêncio; decida o que você come; decida o que você bebe; decida o que você vê; decida o que você pensa; decida rapidamente e, se as engrenagens erradas estiverem rodando, decida mudar imediatamente. Não fique parado. Como disse o maestro Herbert von Karajan, “Quem decide pode errar. Quem não decide, já errou.”

Decida. Por menor que seja a decisão. Decida e vá corrigindo curso de sua vida, com base em suas decisões e nos resultados que forem surgindo. Quem decide pode errar. Quem não decide, já errou.

- Aldo Novak

quarta-feira, 14 de março de 2012

Andres Amador


‎'Obras de arte que duram apenas 2 horas" foi a notícia cujo título que me chamou a atenção agora no Yahoo. 
Andres Amador faz lindos desenhos na areia, que duram apenas algumas horas.
E isso me fez passar que às vezes a gente desiste de um sonho porque vai demorar e não temos nem certeza se vamos conseguir, não declaramos nosso amor porque não sabemos se vai durar, não fazemos pequenos gestos de solidariedade porque eles são pouco diante do mundo ... Então pensei que a gente pode se inspirar neste artista e tentar fazer de cada momento uma obra de arte, colocando toda a nossa alma em tudo aquilo que fizermos, nos dando de verdade a cada pessoa que amamos. Que seja passageiro, mas que seja de coração. Façamos nossa parte, contribuindo para a beleza e a poesia da vida.

Fato


"A História tem demonstrado que os mais notáveis vencedores normalmente encontraram obstáculos dolorosos antes de triunfarem. 
Eles venceram porque se recusaram a se tornarem desencorajados 
por suas derrotas."

- B. C. Forbes

terça-feira, 13 de março de 2012

Mandela


"Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes.

Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta.

Nos perguntamos: "Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?" Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?...Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você.

E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo".

- Nelson Mandela

segunda-feira, 12 de março de 2012

O náufrago


"O único sobrevivente de um naufrágio foi parar em uma pequena ilha desabitada, fora de qualquer rota de navegação.
Ele orava fervorosamente pedindo a Deus para ser resgatado, mas os dias passavam e nenhum socorro vinha.
Mesmo exausto, ele construiu um pequeno abrigo de madeira para que pudesse proteger do sol, da chuva e de animais e para guardar seus poucos pertences.
Um dia, saiu em busca de algum alimento e, quando voltou, encontrou o seu abrigo em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça.
Terrivelmente desesperado e revoltado, ele gritava chorando:
- O pior aconteceu! Perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?
Chorou tanto, que adormeceu, profundamente cansado.
No dia seguinte bem cedinho, foi despertado pelo som de um navio que se aproximava.
- Viemos resgatá-lo, disseram.
- Como souberam que eu estava aqui? - perguntou ele.
- Nós vimos o seu sinal de fumaça!
É comum sentirmo-nos desencorajados e até desesperados quando as coisas vão mal. Mas Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento.

Lembre-se, se algum dia o seu único abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal de fumaça que fará chegar até você a Graça Divina."

domingo, 11 de março de 2012

Pequenos gestos


"É curioso observar como a vida nos oferece resposta aos mais variados questionamentos do cotidiano... Vejamos:
A mais longa caminhada só é possível passo a passo...
O mais belo livro do mundo foi escrito letra por letra...
Os milênios se sucedem, segundo a segundo...
As mais violentas cachoeiras se formam de pequenas fontes...
A imponência do pinheiro e a beleza do ipê começaram ambas na simplicidade das sementes...
Não fosse a gota e não haveria chuvas...
O mais singelo ninho se fez de pequenos gravetos e a mais bela construção não se teria
efetuado senão a partir do primeiro tijolo...
As imensas dunas se compõem de minúsculos grãos de areia...
Como já refere o adágio popular, nos menores frascos se guardam as melhores fragrâncias...
É quase incrível imaginar que apenas sete notas musicais tenham dado vida à "Ave Maria", de Bach, e à "Aleluia", de Hendel...
O brilhantismo de Einstein e a ternura de Tereza de Calcutá tiveram que estagiar no período fetal e nem mesmo Jesus, expressão maior de Amor, dispensou a fragilidade do berço...
... Assim também o mundo de paz, de harmonia e de amor com que tanto sonhamos só será construído a partir de pequenos gestos de compreensão, solidariedade, respeito, ternura, fraternidade, benevolência, indulgência e perdão, dia a dia...
Ninguém pode mudar o mundo, mas podemos mudar uma pequena parcela dele:
esta parcela que chamamos de "Eu".
Não é fácil nem rápido...
Mas vale a pena tentar!"

sábado, 10 de março de 2012

Aprendendo com as carpas


"A carpa japonesa (koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente. Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros -- mas pode atingir três vezes esse tamanho, se colocada num lago.

Da mesma maneira, as pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual.

Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos. Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, em vez de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano -- mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa.

Pense nisto. Existe um oceano esperando por você."


- Autor desconhecido

sexta-feira, 9 de março de 2012

A gente se acostuma ...


"Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.
A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender as luzes mais cedo. E, a medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.
A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo de viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.
A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos! E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz.
A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone : "hoje não posso ir". A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto!
A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra e que se compra.
A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenda morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta do pé, a não ter sequer uma planta (desculpem, agora nós gostamos das plantas... as temos dentro de casa! Até conversamos com elas. Desculpem...

A gente se acostuma a coisas para não sofrer. Em doses pequenas tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui...um ressentimento ali...uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.
A gente se acostuma a não ralar na aspereza, a preservar a pele. Se acostuma a evitar feridas, sangramentos; a esquivar-se da faca e baioneta...para poupar o peito. A gente se acostuma a poupar a vida, que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde em si mesma..."



Marina Colassanti

quinta-feira, 8 de março de 2012

Nietzche para Estressados





1 - Quem tem uma razão de viver é capaz de suportar qualquer coisa
QUANDO PERDEMOS DE VISTA nossos objetivos fundamentais, somos dominados pelo estresse e pela desorientação. A sensação de “trabalhar muito para nada” e o esgotamento que dificulta a concentração podem ser combatidos com a definição de uma meta clara, que ofereça sentido ao que estamos fazendo nos bons e nos maus momentos.
Para o psicólogo Viktor Frankl, se o indivíduo encontra um sentido para sua vida, é capaz de superar a maior parte das adversidades.
A logoterapia, criada por ele, busca exatamente isto: em vez de escavar o passado do paciente, tenta explorar o que é possível fazer com o que ele tem aqui e agora. Em outras palavras, devemos encontrar um motivo para nos levantar da cama todas as manhãs.
O problema de muitas pessoas insatisfeitas com sua existência é que elas não pensam na vida que gostariam de viver. E a primeira condição para encontrar-se é saber aonde se quer chegar.
Como fez Frankl meio século mais tarde, Nietzsche destaca a importância de se buscar uma “razão de viver”. Quando nossa vida se torna plena de sentido, de uma hora para outra os esforços já não são cansativos, e sim passos necessários em direção à meta que estabelecemos.

2 - O destino dos seres humanos é feito de momentos felizes e não de épocas felizes
A FELICIDADE É FRÁGIL E VOLÁTIL, pois só é possível senti-la em certos momentos. Na verdade, se pudéssemos vivenciá-la de forma ininterrupta, ela perderia o valor, uma vez que só percebemos que somos felizes por comparação.
Após uma semana de céu nublado, um dia de sol nos parece um milagre da Criação. Do mesmo modo, a alegria aparenta ser mais intensa quando atravessamos um período de tristeza. Os dois sentimentos se complementam, pois, da mesma forma que a melancolia não é eterna, não poderíamos suportar 100 anos de felicidade.
Imaginar que temos obrigação de ser felizes o tempo todo e em todo lugar é um grande fator de estresse na sociedade moderna. A negação da tristeza dispara o consumo de antidepressivos e a busca de psicoterapias e nos leva a adquirir coisas de que não precisamos. Não exibir um sorriso permanente parece ser motivo de vergonha.
Contra essa perspectiva falsa e infantil, Nietzsche nos lembra que a felicidade vem em lampejos e que tentar fazer com que ela dure para sempre é aniquilar esses lampejos que nos ajudam a seguir em frente no longo e tortuoso caminho da vida.

3 - Nós nos sentimos bem em meio à natureza porque ela não nos julga
NÓS, SERES HUMANOS DO SÉCULO XXI, estamos “desnaturalizados” e isso muitas vezes nos faz parecer extraterrestres em nosso próprio planeta. Mesmo acreditando que a cultura e a civilização tenham suprido nossa porção mais animal e instintiva, ainda precisamos manter contato com o mundo natural.
Para tratar quadros de ansiedade que nascem do excesso de trabalho e de uma longa permanência na selva de pedra, escapadas de dois ou três dias para a natureza podem ser mais eficientes do que a ingestão de medicamentos.
Ao sentir o cheiro de terra fresca, o ar limpo e o silêncio, que só é quebrado pelas pequenas criaturas ao redor, reencontramos nossa essência por tanto tempo abandonada.
Como diz Nietzsche, na cidade precisamos representar um papel porque estamos muito preocupados com o que pensam de nós. Mas, ao voltar à natureza, podemos nos dar ao luxo de sermos nós mesmos. Não precisamos nos vestir bem, falar ou atuar de maneira especial. Basta nos deixarmos levar pelo mundo natural em direção ao nosso interior, onde um manancial de tranquilidade nos espera.

4 - Precisamos pagar pela imortalidade e morrer várias vezes enquanto estamos vivos
NIETZSCHE SUGERE QUE NÃO HÁ apenas uma morte ao longo da existência humana. No decorrer da vida, vamos vencendo etapas e devemos morrer – simbolicamente – para podermos nascer no estágio seguinte.
Essa transição de uma vida a outra é o que as tribos mais ligadas à terra chamam de “rito de passagem”, um momento que nossa civilização vem abandonando.
O antropólogo catalão J. M. Fericgla comenta o assunto: Sem entrar no mérito da religião, a primeira comunhão era tradicionalmente um rito de iniciação: uma porta simbólica que conduzia da infância à puberdade. Os meninos ganhavam suas primeiras calças compridas após a cerimônia, transformando- -se em homenzinhos. Isso coincidia com a permissão para sair à rua sozinhos, mesmo que apenas para comprar pão. O padrinho costumava abrir uma conta-corrente no nome do afilhado.
Também no momento da primeira comunhão os meninos ganhavam seu primeiro relógio, o que significava um controle adulto do tempo.
Um bom exercício para tomar consciência das vidas que existem dentro de nossa vida é fazer uma relação das etapas que já superamos e verificar se houve algum rito de passagem entre uma e outra. Depois podemos perguntar a nós mesmos: “Qual é a próxima vida em que quero nascer?”

5 - O valor que damos ao infortúnio é tão grande que, se dizemos a alguém “Como você é feliz!”, em geral somos contestados
NÃO É LUGAR-COMUM DIZER que os povos aparentemente mais primitivos demonstram ser mais felizes que a sociedade ocidental contemporânea. Muitos se perguntam como pessoas que não têm nada ou quase nada podem ser mais bem-humoradas do que outras que trabalham para acumular todo tipo de bens.
Será que a contestação, como diz Nietzsche, é uma marca de nossa civilização?
Nas conversas típicas do ambiente de trabalho, nos bares e nos restaurantes as queixas são intermináveis: reclamamos das taxas de juros, do custo de vida, do ruído e da poluição que assolam as grandes cidades. Talvez não estejamos fazendo nada para remediar esses fatores, mas gostamos de nos queixar, o que acaba gerando angústia e estresse.
O estresse não nasce das circunstâncias externas, mas da interpretação que fazemos delas. Talvez o segredo da felicidade seja deixar de nos preocuparmos com fatores e estatísticas que não dependem de nós e nos divertirmos mais.

6 - Nosso tesouro está na colmeia de nosso conhecimento. Estamos sempre voltados a essa direção, pois somos insetos alados da natureza, coletores do mel da mente
COMO SCHOPENHAUER, NIETZSCHE em sua juventude se interessou pelas várias filosofias que florescem na Índia.
Herdeiro de uma longa tradição espiritual voltada ao conhecimento pessoal, Ramana Maharshi talvez tenha sido o último “grande guru” a trabalhar com o instrumento que nos torna humanos: a mente.
Ramana estimulava seus discípulos a perguntarem a si mesmos: “Quem sou eu?” Quando soube que tinha câncer, tranquilizou-os dizendo: “Não vou a lugar nenhum. Para onde poderia ir?”
Aqui Nietzsche compara a conquista da mente a uma abelha voando em direção à colmeia para colher o mel mais puro. Maharshi descrevia da seguinte forma a viagem às profundezas do nosso interior:
Assim como o pescador de pérolas prende uma pedra na cintura e desce ao fundo do mar para buscá-las, cada um de nós deve se munir de desapego, mergulhar dentro de si mesmo e encontrar sua pérola.
Para encontrar essa pérola não é preciso peregrinar à Índia nem se entregar a complexos exercícios espirituais. Basta olharmos tranquilamente para o nosso interior.

7 - A palavra mais ofensiva e a carta mais grosseira são melhores e mais educadas que o silêncio.
A MAIOR PARTE DAS GUERRAS PSICOLÓGICAS é iniciada mais pelo que não se diz do que pelo que se diz.
Vamos imaginar uma cena: A está chateado com B e parou de falar com B desde que este se esqueceu de lhe dar os parabéns pelo aniversário. A deveria ter dito: “Você não sabe que dia foi ontem?”, mas, como ficou magoado com a falta de atenção do amigo – que, na realidade, foi apenas um esquecimento –, resolveu pagar na mesma moeda: o silêncio. B acabou se chateando com A, que de uma hora para outra deixou de atender seus telefonemas e, quando conseguiram se falar, não se mostrou nada gentil.
São comportamentos infantis, porém muito mais comuns do que se imagina. Quantos casais brigam por mal-entendidos que duram dias ou meses até serem esclarecidos? A falta de comunicação também está na origem de muitos conflitos vividos no ambiente de trabalho.
Não dizer as coisas a tempo é um importante fator de estresse no mundo tumultuado em que vivemos, pois possibilita interpretações equivocadas que acabam pesando contra nós.
Nietzsche, que não tinha papas na língua, afirma que é melhor expressar nossos sentimentos – mesmo sem encontrar as palavras adequadas – do que ofender com o silêncio.

8 - Nossa honra não é construída por nossa origem, mas por nosso fim
COMO JÁ DISSEMOS, AS PESSOAS mais felizes e realizadas são as que sabem aonde querem chegar e têm metas. Podemos alcançar nossos objetivos de forma mais ou menos efi caz, mas o fato de ntermos vivido em função de algo acrescenta um valor inestimável à nossa existência.
Quando enxergamos a vida dessa maneira, nossa origem humilde e os erros que porventura tenhamos cometido no caminho perdem a importância. Como diz o Corão: “A Deus não importa o que você foi, mas o que será a partir deste momento.”
Para ver com clareza e atuar de forma coerente, precisamos de algo parecido com um roteiro pessoal. Experimente o seguinte exercício:
1. Pegue uma folha de papel e trace nela uma linha vertical.
2. Escreva à esquerda um resumo do que foi sua vida até hoje.
3. À direita, descreva o caminho que gostaria que ela tomasse a partir deste momento.
4. Logo abaixo, anote os passos necessários para seguir em frente com seu roteiro. E mãos à obra!

9 - O homem que imagina ser completamente bom é um idiota
SE A CONSCIÊNCIA NOS TORNA HUMANOS, a imperfeição também é um traço distintivo de nossa espécie. Passamos mais tempo reparando erros do que construindo coisas de valor.
Assumir essa característica da nossa condição nos ajuda a ser humildes e, o que é mais importante, nos faz tomar consciência de quanto ainda precisamos nos aprimorar. Todo fracasso ou erro nos ensina como fazer melhor.
As pessoas mais inflexíveis e perfeccionistas sofrem as consequências de seus atos imperfeitos. Se algo dá errado, costumam colocar a culpa nos outros e ficam descontrolada quando alguém mostra qualquer falha que possam ter cometido.
Nietzsche nos dá o seguinte conselho: é inútil querermos ser bons o tempo todo e fazer tudo certo – o que importa é estarmos dispostos a fazer um pouco melhor hoje do que fi zemos ontem.
A palavra japonesa wabi-sabi define a arte da imperfeição: no que é incompleto, irregular e antigo existem vida e beleza, pois aí está contido o desejo que a natureza tem de aprimorar a si mesma.

10 - As pessoas que nos fazem confidências se acham automaticamente no direito de ouvir as nossas
OS JORNALISTAS SABEM QUE informação é poder. Por isso é importante medir o que dizemos e, sobretudo, a quem dizemos.
Às vezes encontramos pessoas que rompem imediatamente o protocolo e nos transformam em parte integrante de suas vidas.
Mas o que pode ser entendido como um ato de confiança também envolve riscos: quando nos transformam em seus confidentes, esses indivíduos nos incluem em seu círculo íntimo e nos obrigam a acompanhar sua evolução pessoal. Dito de outra forma: nós nos transformamos em espectadores forçados de um mundo pessoal que até então desconhecíamos.
Além da pressão gerada por ouvir confi dências, há o perigo do qual nos previne Nietzsche: o outro pode estar esperando de nós uma atitude de confiança semelhante para, assim, completar o círculo iniciado por ele.
Por tudo isso, é importante sermos cuidadosos ao escutar – reservando o entusiasmo para as pessoas mais íntimas – e ainda mais cuidadosos ao falar.

quarta-feira, 7 de março de 2012

A vida é filme


"A vida é o filme que você vê através dos seus próprios olhos.
Faz pouca diferença o que está acontecendo. É como você percebe que conta."


- Denis Waitley

terça-feira, 6 de março de 2012

PARÁBOLA DA ROSA


Um certo homem plantou uma rosa e passou a regá-la constantemente e, antes que ela desabrochasse, ele a examinou.

Ele viu o botão que em breve desabrocharia, mas notou espinhos sobre o talo e pensou, Como pode uma bela flor vir de uma planta rodeada de espinhos tão afiados?

Entristecido por este pensamento, ele se recusou a regar a rosa, e, antes que estivesse pronta para desabrochar, ela morreu.

Assim é com muitas pessoas.

Dentro de cada alma há uma rosa: as qualidades dadas por Deus e plantadas em nós crescendo em meio aos espinhos de nossas faltas.

Muitos de nós olhamos para nós mesmos e vemos apenas os espinhos, os defeitos.

Nós nos desesperamos, achando que nada de bom pode vir de nosso interior. Nós nos recusamos a regar o bem dentro de nós, e, consequentemente, isso morre.

Nós nunca percebemos o nosso potencial.

Algumas pessoas não vêem a rosa dentro delas mesmas;

Alguém mais deve mostrá-la a elas.

Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa dentro de outras pessoas.

Esta é a característica do amor — olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas.

Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece a beleza em sua alma e ajuda-a a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições.

Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, Elas superarão seus próprios espinhos.

Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Esperança ...



"Apesar de todos os obstáculos que encontro pela minha vida, 
apesar dos contratempos que me deparo, 
apesar das portas fechadas que vejo, 
apesar das dificuldades que enfrento, ainda assim, tenho a esperança. 
A esperança vive em mim, amanhece comigo, percorre o dia todo e, 
quando anoitece, ela está ainda mais fortalecida."

domingo, 4 de março de 2012

sábado, 3 de março de 2012

Só mais um minuto


No limite de suas forças, um homem atentou contra a
própria vida com uma arma de fogo.
Ouvindo o tiro, o vizinho entrou naquele apartamento, e,
ao lado do corpo, encontrou , uma carta assim escrita:

"Não deu para suportar.
Passei a noite toda como um louco pelas ruas.
Fui a pé..., pois não tinha condições de dirigir.
Perdi meu emprego por injustiça feita contra mim.
Nada mais consegui.
Ontem, me telefonaram, avisando-me que minha casinha no
campo havia sido incendiada.
Estava ameaçado de perder este apartamento, por não ter
conseguido pagar as prestações, por falta de condições
financeiras...
Só me restou um carro, tão desgastado que nada vale.
Afastei-me de todos os meus amigos, com vergonha desta
humilhante situação, e agora, chegando aqui em casa, não
encontrei ninguém...
Fui abandonado e levaram até as minhas melhores roupas !
Aquele que me encontrar, faça o que tiver que ser feito,
perdão."

O vizinho dirigiu - se ao telefone para chamar a polícia,
quando esta chegou, viu que havia um recado na secretária
eletrônica.

Era a voz da mulher do morto, dizendo o seguinte:
- Alô, amor, sou eu !
- Ligue para a firma !
- O engano foi reconhecido, e você está sendo chamado de
volta ao emprego na próxima semana.
- O dono do apartamento disse que tem uma boa proposta
para não o perdermos !
- Estamos na nossa casinha de campo.
- A história do incêndio era trote !
- Isso merece uma festa, não merece ?
- Nossos amigos estão vindo para cá.
- Um beijo !
- Ah, já coloquei suas melhores roupas no porta malas do
seu carro, vem !

Pois é, no último minuto, reflita só mais um minuto !
Por favor, nunca perca a esperança, por piores que sejam
as circunstâncias.