Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de agosto de 2016




terça-feira, 30 de agosto de 2016

"A criatividade exige a coragem
de deixar as certezas de lado".

- Erich Fromm


segunda-feira, 29 de agosto de 2016


     "Para Sparky, o colégio era uma coisa quase impossível. Ele foi reprovado em todas as matérias na sétima série. Foi reprovado em Física no ensino médio, com nota zero. Sparky também foi reprovado em Latim, Álgebra e em Inglês. Não foi muito melhor nos esportes. Embora tenha conseguido entrar para o time de golfe da escola, perdeu o único jogo importante da temporada. Havia um jogo de consolação e esse ele também perdeu.
     Durante toda a sua juventude, Sparky teve problemas de sociabilidade. Os outros não chegavam a não gostar dele, pois ninguém lhe dava importância suficiente para isso. Ele ficava surpreso se algum colega lhe dava um bom dia fora do horário de aula. Não se sabe ao certo como foi sua vida sentimental. Sparky nunca convidou uma garota para sair no ensino médio. Tinha medo de ser rejeitado. 
     Sparky era um perdedor. Ele, seus colegas... todo mundo sabia.. Então ele vivia com isso. Sparky tinha decidido cedo na vida que, se fosse para as coisas darem certo, elas dariam. Do contrário, ele se contentaria com o que parecia ser sua inevitável mediocridade.
No entanto, uma coisa era importante para Sparky - desenhar. Ele tinha orgulho de seus desenhos. É claro que ninguém mais gostava deles. No último ano do ensino médio, ele ofereceu alguns quadrinhos para os organizadores do livro de formatura da classe. Os quadrinhos foram rejeitados. Apesar dessa rejeição específica, Sparky estava tão convencido de seu talento que decidiu se tornar um artista profissional.
     Depois de completar o ensino médio, escreveu uma carta para os estúdios Disney. Pediram-lhe que mandasse algumas amostras de seu trabalho e sugeriram o tema para uma série de quadrinhos. Sparky desenhou os quadrinhos propostos. Passou muito tempo trabalhado nele e em todos os outros desenhos que enviou para avaliação. Finalmente, recebeu uma resposta dos estúdios Disney. Havia sido rejeitado mais uma vez. Outra derrota para o perdedor.
     Sparky decidiu, então, escrever sua própria autobiografia em quadrinhos. Descreveu a si mesmo quando criança - um garoto perdedor que nunca conseguia se sobressair. O personagem dos quadrinhos logo se tornaria famoso no mundo inteiro. Pois Sparky, o menino que tinha tão pouco sucesso no colégio e cujo trabalho fora rejeitado vezes sem conta, era Charles Schulz. Ele criou a tira Peanuts com o cachorro Snoopy e o pequeno personagem Charlie Brown, cuja pipa nunca voava e que não conseguia chutar uma bola de futebol."

In: Histórias para aquecer o coração dos adolescentes (Jack Canfield, Organizador)


domingo, 28 de agosto de 2016

"[...]

Amizades surgem entre pessoas que se admiram. A estreita relação entre os filósofos Montaigne e Étienne de la Boétie resulta numa das mais belas frases já escritas sobre este tipo de afeto. Nos seus ensaios, o nobre tenta explicar por que amava La Boétie. Só consegue dizer que a causa central era “porque era ele, porque era eu”. O autor dos Ensaios reconhece que, na especificidade absoluta do outro, está a chave da fusão elevada a que chamamos amizade. 
[...]
Talvez a amizade seja sempre um desafio. Entregar-se à relação com um amigo é observar-se num espelho pouco generoso. Os amigos nos conhecem e, para eles, as cenografias sociais são inúteis. Sim, nossos amigos nos amam, e nos conhecem, e nunca saberemos se nos amam por nos conhecer ou apesar de nos conhecer. Mas a entrega à amizade intensa é uma entrega a uma jornada de intimidade e apoio. 
O olhar do amigo não tem a doçura absoluta do materno e escapa do tom acre e ressentido do inimigo. Assim, longe do mel estrutural e do fel defensivo, é um olhar de sinceridade. 
Para ter um amigo, preciso de condições específicas. Eu identificaria três fundamentais. 
A primeira é a capacidade de se observar e continuar em frente. Uma conversa genuína com um amigo é uma dissecação anatômica da minha alma. Nem todos conseguem isso. Não é fácil atender ao preceito socrático: conhece a ti mesmo. Na minha experiência, conhecer aos outros é infinitamente mais fácil do que conhecer a si. Se os filósofos já garantiram que homens maus não possuem amigos, mas apenas cúmplices, eu acrescentaria que pessoas superficiais possuem apenas colegas e conhecidos, mesmo que os denominem amigos. 
A segunda é o tempo. Não se criam amigos de um dia para o outro. Amigos demandam história, repertório de casos, vivências em conjunto. Amigos precisam viajar juntos. Assim, os afetos integram as vidas das respectivas famílias. Amigos acompanham nossos sucessos e fracassos amorosos, choram e riem com nossa biografia. Quem adicionei ontem na minha rede social é um fantasma, um fóton, jamais um amigo. Amigos precisam de cultivo constante. Todo amigo é, dialeticamente, um frágil bonsai e frondoso carvalho.
A terceira é o controle do próprio orgulho. A mais espaçosa dama da alma é a vaidade. Quando ela preenche o ambiente, sobram poucos assentos livres. Pessoas vaidosas são frágeis e temem a entrega da amizade. O amor é privilégio de maduros, dizia Carlos Drummond. Talvez a amizade também o seja. Talvez não seja apenas para maduros, mas, com certeza, é um privilégio. [...] "


Leandro Karnal in "Porque era ele, porque era eu"


sábado, 27 de agosto de 2016

sexta-feira, 26 de agosto de 2016


"O amor não é mais forte do que a morte, ele é, apesar da morte 
e fora do seu alcance. O amado foi embora, o amor não. 
Amor é a gratidão pelo convívio. Como disse Fábio de Melo: 
'É o amor que faz chegar a presença, mesmo quando só a ausência é o que temos'.”

Eduardo Carlos Tavares e Gláucia Rezende Tavares –  do API – Apoio a Perdas Irreparáveis. 






quinta-feira, 25 de agosto de 2016


"Mulheres e homens, somos os únicos seres que, social e historicamente, nos tornamos capazes de apreender. Por isso, somos os únicos em quem aprender é uma aventura criadora, algo, por isso mesmo, muito mais rico do que meramente repetir a lição dada. Aprender para nós é construir, reconstruir, constatar para mudar, o que não se faz sem abertura ao risco e à aventura do espírito."

- Paulo Freire



quarta-feira, 24 de agosto de 2016

"E aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente
Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas.

E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar ..."

- Gonzaguinha "Caminhos do coração"






terça-feira, 23 de agosto de 2016


"[...] é importante estarmos conscientes do modo como tratamos os outros. Mesmo que alguém pareça ignorar um comentário casual ou não se deixar afetar por um boato, é impossível saber tudo o que se passa na vida daquela pessoa e o quanto podemos ampliar sua dor. As pessoas têm impacto na vida dos outros; isso é inegável"."

- Jay Ascher in "Os 13 porquês" (p. 249)

  

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

"A solidão, como contingência da vida, não é trágica, 
podemos dar conta de nós mesmas. 
Mas, ainda que eu pareça obsoleta, ainda acredito que 
se sentir amada é o que nos sustenta de fato".

- Martha Medeiros


domingo, 21 de agosto de 2016

"Você é livre para se reinventar. 
Todos temos uma dimensão trágica. 
Lidar com ela é sábio."

- Leandro Karnal

Imagem de Catrin Welzstein

sábado, 20 de agosto de 2016

"Quem vive num labirinto, 
tem fome de caminhos."

- Mia Couto


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

"Você tem obrigação de ser fiel ao que você viveu."

                - Nélida Piñon




quinta-feira, 18 de agosto de 2016

"A maneira como pais e professores falam revela à criança 
como eles se sentem em relação a ela.
As falas deles afetam sua auto-estima e seu amor-próprio.
Em grande parte, a linguagem dos adultos determina o destino da criança".

- Haim Ginott, citado por Faber e Mazlish in "Como falar para o aluno aprender" 


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

terça-feira, 16 de agosto de 2016

"O suficiente é para quem não ama. 
No amor, só existem infinitos." 

- Mia Couto


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

"Aprendi que, no curso de nossa vida, abandonamos muito do que amamos e somos abandonados também. Perder é o preço que pagamos para viver. É também a fonte de grande parte do nosso crescimento e dos nossos ganhos. Ao trilhar o caminho do nascimento até a morte, temos de passar também pela dor de renunciar, renunciar e renunciar a uma parte do que amamos.


Temos que enfrentar nossas perdas necessárias.

Devemos entender como essas perdas se ligam aos nossos ganhos.
  
Pois, ao deixar a beatífica união total mãe-filho e cruzar as fronteiras imprecisas, transformamo-nos em um eu separado, consciente e único, trocando a ilusão de proteção absoluta e segurança absoluta pelas triunfantes ansiedade de caminhar sozinhos.  

E ao aceitar a limitação do proibido e do impossível, tornamo-nos um eu adulto, moral e responsável descobrindo - dentro dos limites impostos pela necessidade - nossa liberdade de escolha. 

E renunciado às nossas expectativas impossíveis, nos tornamos um eu amorosamente ligado, renunciando a visões ideais de amizade perfeita, casamento perfeito, filhos e família perfeitos, em favor das doces imperfeições dos relacionamentos completamente humanos. 

E enfrentando as muitas perdas trazidas pelo tempo e pela morte, tornamo-nos um eu que chora e se adapta, encontrando em cada estágio - até o último suspiro - oportunidades para transformações  vivas e criativas." 


- Judith Viorst in "Perdas Necessárias" (p. 333-334)





domingo, 14 de agosto de 2016

"Somos belos porque dentro de nós há um jardim que, 
vez por outra, se deixa ver através de nossos gestos".

- Rubem Alves


sábado, 13 de agosto de 2016

"– Só foge da solidão quem tem medo dos próprios pensamentos, das próprias lembranças.
– Talvez...
– Mas se tu soubesses como a solidão pode nos enriquecer..."

- Érico Veríssimo in "Olhai os lírios do campo"


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

“Ele (Paulo Freire) dizia que era pequeno, para poder crescer. Gente grande de verdade sabe que é pequeno e, por isso, cresce. Gente muito pequena acha que já é grande e o único modo dela crescer é rebaixando os outros”.

- Mário Sérgio Cortella


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

“Não há nada que mais sirva para fazer nascer e firmar a amizade, e mesmo a intimidade, do que seja o riso e as lágrimas: aqueles que se riram, e principalmente aqueles que uma vez choraram juntos, têm muita facilidade em fazerem-se amigos”

- Manuel Antônio de Almeida, em "Memórias de um sargento de milícias"


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

"O que a literatura faz é o mesmo que acender um fósforo no campo no meio da noite. Um fósforo não ilumina quase nada, mas nos permite ver quanta escuridão existe ao redor."

- William Faulkner


terça-feira, 9 de agosto de 2016

"(…) Não há outra adesão senão a escolha, outro amor senão a preferência. 
Se a gente, para comprometer-se, esperar encontrar a perfeição absoluta, 
nunca amará ninguém e jamais fará coisa alguma."

- Os Mandarins – Simone de Beauvoir

Imagem: Filme "Para sempre Cinderela"

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

"Uma vez, já há um certo tempo, Parminder contou a Barry a história de Bhai Kanhaiya, o herói sique que cuidava das necessidades dos feridos em combate, fossem eles amigos ou inimigos. Quando lhe perguntaram por que ele ajudava a todos indiscriminadamente, Bhai Kanhaiya respondeu que a luz de Deus brilha em todas as almas e que, por isso, ele não podia fazer distinção entre os homens.
A luz de Deus brilha em todas as almas."

- J. K. Rowling in Morte Súbita


domingo, 7 de agosto de 2016

"A vida é demasiado preciosa
para ser esbanjada
num mundo desencantado."


- Mia Couto



sábado, 6 de agosto de 2016

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

"O acaso não existe. Quando alguém encontra algo de que verdadeiramente necessita, não é o acaso que tal proporciona, mas a própria pessoa; 
seu próprio desejo e sua própria necessidade o conduzem a isso."

- Hermann Hesse



quinta-feira, 4 de agosto de 2016

"A apreciação dos outros não me serve de guia. Os juízos dos outros, embora devam ser ouvidos, e levados em consideração pelo que são, nunca me poderão orientar".

(Carl Rogers in "Tornar-se pessoa" p. 34)


"Não poucas vezes esbarramos com o nosso destino
pelos caminhos que escolhemos para fugir dele."

- La Fontaine


quarta-feira, 3 de agosto de 2016


"A alegria é uma grande mestra. Mas o desespero também. O assombro é um grande mestre, mas a confusão também! A esperança é uma grande mestra, mas a desilusão também! E a vida é uma grande mestra, mas a morte também. Negar-se algum desses - qualquer aspecto - é não experimentar a vida em sua plenitude."

-  Leo Buscaglia


terça-feira, 2 de agosto de 2016

"– Tia Laura, me diga, com toda a honestidade, acha que o amor chega a ser uma experiência feliz?
A expressão da sra. Welman ficou sombria.
– No sentido que está sugerindo, Elinor, não; é mais provável que não… Gostar apaixonadamente de outra criatura humana sempre causa mais tristeza do que alegria, mas da mesma forma, Elinor, não existiríamos sem essa experiência. Alguém que nunca amou de verdade nunca viveu de verdade…"

- Agatha Christie in Cipreste triste


segunda-feira, 1 de agosto de 2016

"Nossa trilha é feita de ciclos, que se encerram e recomeçam, pessoas que vêm e trazem um pouco delas para dentro de nós, outras que passam e levam embora um pedaço da gente. Independentemente do quanto nos roubam ou nos presenteiam, é a troca que rege o existir, a doação nossa com o mundo e o que ele nos regala, o intercâmbio de ações e sentimentos.
Portanto, para receber é preciso estar preparado para dar, sem ignorar a certeza de que nada é definitivo e tudo é passageiro."

 - Karen Curi