Total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de junho de 2016

"Para viver, não basta existir ..." 


 "Viver implica conhecer-se, profundamente, e, ciente de si, deixar de enganar-se, trabalhando para mudar aquilo que não está bem. 
Viver implica arriscar-se. E o maior risco é errar.

Viver é estar no todo, sendo tudo. 
Viver é enxergar a luz, mesmo nas sombras, e criar luz nas próprias trevas. 
Viver é expandir a própria existência para além dos limites imaginados. 
Viver é doar-se, sem pedir; é ceder, sem resistir; é entregar-se, sem recear. 
Quem vive, renasce um novo ser todos os dias.

Quem vive, tem a própria existência traçada a lápis e recria o próprio destino, 
minuto a minuto, com a borracha da sabedoria e do perdão. 
Viver é ter na própria consciência uma única história. 
Para viver, não basta existir."

- Autor desconhecido

Imagem de Christian Schloe




quarta-feira, 29 de junho de 2016

"Se você tiver sorte, conhecerá o amor de sua vida. Você estará com ele, aprenderá com ele, dará tudo de si mesmo a ele e permitirá que a sua influência te mude em medidas insondáveis. É uma experiência como nenhuma.

Mas aqui está o que os contos de fadas não vão te dizer – às vezes encontramos os amores de nossas vidas, mas não conseguimos mantê-los.

[...]

[...]  outra coisa que não vão te falar sobre encontrar o amor da sua vida: não terminar com ele não desqualifica o seu significado.

Algumas pessoas podem te amar mais em um ano do que outras poderiam te amar em cinquenta anos. Algumas pessoas podem ensinar-lhe mais em um único dia do que outras durante toda a sua vida.

Algumas pessoas entram em nossas vidas apenas por um determinado período de tempo, mas causam um impacto que mais ninguém pode igualar ou substituir.

E quem somos nós para chamar essas pessoas de algo que não seja “amores de nossas vidas”?

Quem somos nós para minimizar a sua importância, para reescrever suas memórias, para alterar as formas em que nos mudaram para melhor, simplesmente porque nossos caminhos divergiram? [...]

Talvez nós apenas deveríamos ser gratos por encontrarmos essas pessoas em tudo.

Por termos chegado a amá-las. Por termos aprendido com elas. Por nossas vidas terem expandido e florescido como resultado de tê-las conhecido.

Encontrar e deixar o amor de sua vida não tem que ser a tragédia de sua vida.

[...]

Afinal, algumas pessoas nunca chegam a encontrá-lo."



- Traduzido pela equipe de O Segredo


terça-feira, 28 de junho de 2016

“Eu sou essa gente que se dói inteira 
porque não vive só na superfície das coisas. E que, por conviver mais profundamente com as angústias, são os primeiros a experimentar o êxtase de um dia de sol ou chuva, de qualquer coisa aparente simples. Gente que sabe viver com a simplicidade é a coisa mais complexa que existe… e a mais sábia!” 


- Marla de Queiroz

Imagem de Christian Schloe







segunda-feira, 27 de junho de 2016

"Diz um personagem secundário [do filme Antes da meia-noite]: 
'O amor que sentimos por alguém não é o mais importante, 
o que interessa é o amor que sentimos pela vida'. 
Sábias palavras. Se o casal concorda que a vida é breve e merece ser apreciada com alegria e generosidade, sem valorização das encrencas, sem perpetuar traumas de infância, sem pensamentos estreitos, sem nenhuma espécie de rigidez, a relação poderá vir a ser um passeio no campo. 
Ame a  vida, e meio caminho andado para um romance leve."

- Martha Medeiros in "As chatonildas"


domingo, 26 de junho de 2016

"Não que o amor seja cego: na verdade, 
o amor só vê o essencial".

- Leo Buscaglia in 
"Nascido para amar" (p.29)


sábado, 25 de junho de 2016

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Um monge zen costumava gritar alto todas as manhãs: 
"Bokuju, onde você está?" (Bokuju era o seu próprio nome.)
E ele mesmo respondia: "Estou aqui."
E continuava: 
"Bokuju, lembre-se, um outro dia lhe é dado...fique consciente, alerta 
e não seja tolo!"
E ele mesmo respondia: "Sim, senhor, tentarei dar o melhor de mim."
Porém, não havia mais ninguém ali!
Ele perguntava, ele respondia...
Seus discípulos começaram a pensar que ele tinha enlouquecido, mas ele estava somente representando um monodrama.
E essa é a situação interior.
Você é o que fala e o que escuta,
é o que comanda e o comandado.

- Osho (Nem água nem Lua)


quinta-feira, 23 de junho de 2016

"Mas o que acontecerá, se descubro, porventura, que o menor, o mais admirável de todos, o mais pobre dos mendigos, o mais insolente dos meus caluniadores, o meu inimigo, reside dentro de mim, sou eu mesmo, e precisa da esmola da minha bondade, e que eu mesmo sou o inimigo que é necessário amar?"

- Jung - O Livro Vermelho



quarta-feira, 22 de junho de 2016

"O medo, de certa forma, nasce da história que contamos a nós mesmos, portanto escolhi contar uma história diferente [...] Decidi que estava segura. Que era corajosa. Que nada podia me vencer".

- Cheryl Strayed em Livre (p. 65)


terça-feira, 21 de junho de 2016

"Desistir de um sonho por causa de um imprevisto é a mesma coisa que rasgar os outros três pneus do  seu carro por causa de um pneu furado.
Deu errado?
Conserte o erro e continue, você vai chegar!"

- Desconheço o autor  


"De certa forma, o cliente procura um especialista e precisa encontrar, antes de tudo, um ser humano. Trata-se sem dúvida de um especialista [...] No entanto, [...] A única crença que um terapeuta pode ter no começo é a de que somente um ser humano pode acolher outro ser humano em momentos de intensa angústia, de sofrimento ou de impasses paralisantes. O cliente procura a técnica, o especialista, mas precisa receber primeiro a compaixão, matriz da empatia tão fundamental para a relação terapêutica. A compaixão [...] não significa menosprezo pelo outro ou falta de confiança na capacidade dele de transformar sua dor atual em trampolim para crescimento - a compaixão provém do reconhecimento e do compartilhamento da condição humana, às vezes tão precária diante das demandas da existência."

- Enio Brito Pinto in "A primeira entrevista"
Livro: A clínica, a relação psicoterapêutica e o manejo em Gestalt-Terapia (p. 11-29).


segunda-feira, 20 de junho de 2016

"[...] Leonard Scheff e Susan Edmiston nos propõem um exercício de imaginação bem interessante no começo do livro A Vaca no Estacionamento (Fontanar). Vamos supor que você entre numa garagem de supermercado, louco para pegar a única vaga que sobrou. De repente, um carro passa na sua frente e entra naquele lugar. E você está pronto para espumar de raiva com isso. Mas os autores lançam uma pergunta: e se fosse uma vaca que tivesse ocupado o lugar? Você estaria tão irritado assim?

Para a maioria das pessoas, o encontro inesperado com a vaca que toma a sua vaga no estacionamento poderia gerar uma sonora gargalhada. Afinal, é uma surpresa engraçada. Mas por que você se irrita com o carro e acha graça da vaca? O que Leonard e Susan nos dizem é que não há nenhuma diferença objetiva entre os cenários: em ambos, você seria obrigado a encontrar outro lugar para estacionar. Então o problema está dentro de você, e não fora. E não importa se você tem razão, ou quem fez o quê, objetivamente o resultado é o mesmo. 'A única coisa que muda é sua reação ao acontecimento. [...] A irritação começa e termina com a gente".

- Liane Alves na Revista Vida Simples - Junho/2016.   


domingo, 19 de junho de 2016

"É preciso fazer um esforço contínuo para amar o presente. 
Viver pelo passado, pelo que se fez, pelo que se conseguiu, é o mesmo que alimentar uma fome premente com banquetes de outrora."

- Miguel Torga 

Imagem de Christian Schloe

sábado, 18 de junho de 2016

"Há um único recanto do universo que podemos ter certeza de melhorar: 
o nosso próprio eu."

- Aldous Huxley


sexta-feira, 17 de junho de 2016

"A nossa vida em grande parte compõe-se de sonhos. 
É preciso ligá-los à ação."

Anais Nin

Imagem de Christian Schloe

quinta-feira, 16 de junho de 2016

"- Vai durar? Vamos fazê-la durar, esta felicidade?
- Não pode durar - disse ele, suavemente. - Toda felicidade é fugaz. Uma exceção, um contraste. Mas temos que reavivá-la, de tempos em tempos, não permitir que se apague. Soprando, soprando a chamazinha."

- Mario Vargas Llosa em “Os cadernos de don Rigoberto

Imagem de Christian Schloe

quarta-feira, 15 de junho de 2016

"Solidão é o modo que o destino encontra 
para levar o homem a si mesmo."

Hermann Hesse

Imagem de Christian Schloe

terça-feira, 14 de junho de 2016

"Ser autêntico significa ser fiel a si próprio. É um fenômeno muitíssimo perigoso; são raras as pessoas que o fazem. Mas sempre que as pessoas o fazem, elas conseguem. Elas conseguem uma beleza tal, uma graça tal, um contentamento tal que não pode ser imaginado."

Osho

Imagem de Christian Schloe

segunda-feira, 13 de junho de 2016

"Não é verdade que as pessoas param de perseguir os sonhos 
porque estão ficando velhas, elas estão ficando velhas 
porque pararam de perseguir os sonhos."

- Gabriel Garcia Marquez


domingo, 12 de junho de 2016

"Se estiver pronto a entrar na intimidade, encorajará a outra pessoa a entrar igualmente na intimidade. Também a sua franqueza ajudará o outro a abrir-se consigo. Também a sua simplicidade despretensiosa permitirá que o outro sinta prazer na simplicidade, na inocência, na confiança, no amor, na franqueza."

- Osho

Imagem de Christian Schloe

sábado, 11 de junho de 2016

"Todo altruísmo, toda renúncia por amor, toda compaixão ativa, todo abandono de si parece desfazer-se, uma subtração de si; é, no entanto, um enriquecimento e engrandecimento, e é, no entanto, o único caminho que conduz para frente e para cima."

- Hermann Hesse

Imagem de Christian Schloe

sexta-feira, 10 de junho de 2016

"Qualquer coisa que eu não possa transformar em algo maravilhoso, 
eu deixo ir. Realidade não me impressiona. 
Eu só acredito em intoxicação, em êxtase, e quando a vida ordinária me algemar, 
eu escapo, de uma maneira ou de outra. Nenhum muro mais."

- Anais Nin

Imagem de Christian Schloe

quinta-feira, 9 de junho de 2016

"É fundamental perguntar o motivo por que determinada circunstância se apresenta, e não só o porquê. Acredito num universo inteligente, com significado. O 'para que' nos diz o que temos de aprender com uma situação. Nossa consciência pode evoluir e se ampliar com o que nos acontece'. Mesmo se o desafio for enorme."

- Liane Alves e Heloísa Capelas na Revista Vida Simples de junho/2016


quarta-feira, 8 de junho de 2016

"É possível amar muito alguém, ele pensou. 
Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo 
para o tamanho da saudade que você vai sentir dela."


- John Green in "O Teorema Katherine" 


terça-feira, 7 de junho de 2016

"Às vezes a gente vai-se fechando dentro da própria cabeça, e tudo começa a parecer muito mais difícil do que realmente é. Eu acho que a gente não deve perder a curiosidade pelas coisas: há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas. Tudo isso estimula a gente, clareia a cabeça, refresca. 
Por que não?"

- Caio Fernando Abreu  

Imagem de Christian Schloe

segunda-feira, 6 de junho de 2016

"A gente precisa de um tempo. Se dar um tempo. Se cuidar. Seu melhor amigo não vai cuidar de você. Nem sua mãe, pois você já é crescido. Nem seu amor. O ideal é você se pegar no colo e cantar uma música de ninar até adormecer. A gente merece esse carinho. Sempre. Porque no fundo é você e seu espelho."

- Clarissa Corrêa


  Imagem de Christian Schloe

domingo, 5 de junho de 2016

"Em luta, meu ser se parte em dois. Um que foge, outro que aceita. O que aceita diz: não. Eu não quero pensar no que virá: quero pensar no que é. Agora. No que está sendo. Pensar no que ainda não veio é fugir, buscar apoio em coisas externas a mim, de cuja consistência não posso duvidar porque não a conheço. Pensar no que está sendo, ou antes, não, não pensar, mas enfrentar e penetrar no que está sendo é coragem. Pensar é ainda fuga: aprender subjetivamente a realidade de maneira a não assustar. Entrar nela significa viver."

- Caio Fernando Abreu

Imagem de Christian Schloe

sábado, 4 de junho de 2016


"Uma coisa é jogar peteca sozinho. A gente bate a peteca para o alto, ela sobe, 
dá uma cambalhota, desce, e quando ela acaba de descer a gente bate de novo ...  
É muito divertido. Mas é um jogo solitário. [...]

Uma outra coisa é jogar peteca com um parceiro. Agora o que é divertido 
não é o exercício solitário jogador-peteca (amante-amor). 
O que é divertido é a relação que se estabelece. 
Mas essa relação exige que o outro me devolva a peteca.

Você está me dizendo que você joga a peteca, mas o seu parceiro não a devolve. 
A peteca cai no chão. Acho que é isso que você quer dizer ao falar de 'retribuição'. Você está jogando sozinha o jogo do amor. [...]

São três as alternativas:
1. Você para de jogar peteca. Joga a peteca fora. 
Aprende a jogar outro jogo - o jogo do trabalho, por exemplo.

2. Você se conforma em jogar peteca sozinha, isto é, consola-se 
com o 'sentimento amoroso' infeliz.

3. Você para o jogo, pega a peteca e vai procurar um outro parceiro
 que tenha prazer em jogar peteca com você.

A escolha quem faz é você".


- Rubem Alves in "Amar sem esperar retribuição", 
no livro "A grande arte de ser feliz" 


sexta-feira, 3 de junho de 2016

"Não sei se estou perto ou longe demais, se peguei o rumo certo ou errado. 
Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente. 
Já não caminho mais sozinha, levo comigo cada recordação, 
cada vivência, cada lição. E, mesmo que tudo não ande da forma que eu gostaria, saber que já não sou a mesma de ontem me faz perceber que valeu a pena." 

- Marcia Duarte


quinta-feira, 2 de junho de 2016

"Existe uma sabedoria na voz do mar. Ela tem o poder de colocar as coisas nos seus devidos lugares:

Para que correr tanto?
Atrás do vento?
Indo para onde?
Daqui a mil anos sua agitação já não mais será,
esquecida e desaparecida com as espumas das ondas.
Mas eu continuarei aqui,
neste mesmo lugar,
com meu eterno brinquedo,
sem pressa ..."

- Rubem Alves


quarta-feira, 1 de junho de 2016

"Amor e luto, vínculo e perda são duas faces da mesma moeda: não se pode ter uma sem ter a outra. O luto é o custo do amor, e a única maneira de evitar a dor do luto é evitar o amor. No entanto, a maioria de nós prefere pagar esse preço a viver uma vida sem afeto".

- Colin Murray Parkes