Total de visualizações de página

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

"O medo da morte tem um lado vital que nos protege, permite que continuemos nossas obras, nos salva de riscos destrutivos e autodestrutivos. Esse mesmo medo pode ser mortal, na medida em que se torna tão potente e restritivo que, simplesmente, a pessoa deixa de viver para não morrer, mas, se observarmos mais atentamente, teremos um morto diante de nós que se esqueceu de morrer. Todo ser humano é obrigado a se confrontar com esse dilema, como o viverá, porém, vai depender em parte de sua história de vida, das características de sua personalidade, mas também de seu esforço pessoal para enfrentar essas questões. Podemos concluir, portanto, que o homem é responsável pela sua vida e pela sua morte. "

- Maria Julia Kovács em Morte e desenvolvimento humano (p. 27)  

domingo, 31 de agosto de 2014

"Tenha mais cuidado com você, não espere isso do outro. Você sabe das suas carências, das suas fases, das suas lacunas. O outro sabe das dele. Às vezes há o encontro perfeito, o encaixe. Em outras, há a mudança brusca pedindo outras conquistas, outras evoluções. Permita-se ser a nova pessoa que acorda todos os dias com mais sede de tudo... Permita-se conhecer a nova pessoa que se relaciona com você diariamente: com outra disposição pra vida, pro amor, pras relações. Desejo boas notícias." 


- Marla de Queiroz




sábado, 30 de agosto de 2014



“Se a dor tiver que vir, que venha rápido”, eu disse. “Porque tenho uma vida pela frente, e preciso usá-la da melhor maneira possível. 
“Esperar dói. Esquecer dói. Mas não saber que decisão tomar é o pior dos sofrimentos.”

- Paulo Coelho


sexta-feira, 29 de agosto de 2014


"A vida humana é feita de escolhas. Sim ou não. Dentro ou fora. Em cima ou embaixo. E também há as escolhas que importam. Amar ou odiar. Ser um herói ou um covarde. Brigar ou se entregar. Viver. Ou morrer. Essa ultima é a escolha importante. E nem sempre ela está nas suas mãos."

- Grey's Anatomy




quinta-feira, 28 de agosto de 2014

"Quando uma criança fala sobre o vento,sobre a nuvem ou sobre o rio, a explicação que ela tem para essas coisas é certamente mágica, própria do seu pensamento de criança. Mas aquilo logo é corrigido, porque 'é preciso que a criança saiba o que é vento'. Adota-se um único discurso: o discurso científico. Mas é muito estéril e feio. E, assim, a possibilidade de a criança construir sua própria narrativa já está morta."

- Mia Couto, Revista Brasileira de Psicanálise. Vol.47, n.4 – 2013.




quarta-feira, 27 de agosto de 2014


27 de Agosto - Dia do Psicólogo


"O dinheiro compra ansiolíticos, mas não a capacidade de relaxar. 
Compra jóias, mas não o amor de uma mulher. 
Compra um quadro de pintura, mas não a capacidade de contemplar. 
Compra seguros, mas não a habilidade de proteger a emoção.
Compra informações, mas não o autoconhecimento. 
Compra lentes de contato, mas não a capacidade de ver os sentimentos não expressos. 
O dinheiro compra um manual de regras para educar quem amamos, mas não compra um manual de vida."

Augusto Cury - O Vendedor de Sonhos




terça-feira, 26 de agosto de 2014

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.

A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.

Para isso, só sendo louco! Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.

Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.

Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois ao vê-los loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a  'normalidade' é uma ilusão imbecil e estéril."

- Oscar Wilde




segunda-feira, 25 de agosto de 2014

"A família é como a varíola: a gente tem quando criança
 e fica marcado para o resto da vida. "

- Sartre


domingo, 24 de agosto de 2014

"A maior solidão é a do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana. A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro". 

- Vinícius de Moraes





 "Custa tanto ser uma pessoa plena, 
que muitos poucos são aqueles que têm a luz ou a coragem de pagar o preço...
É preciso abandonar por completo a busca da segurança 
e correr o risco de viver com os dois braços.
É preciso abraçar o mundo como um amante.
É preciso aceitar a dor como condição da existência.
É preciso cortejar a dúvida e a escuridão como preços do conhecimento.
É preciso ter uma vontade obstinada no conflito, 
mas também uma capacidade de aceitação total 
de cada consequência do viver e do morrer."

- Morris L. West in As sandálias do pescador




sábado, 23 de agosto de 2014

"Não existe possibilidade de casar com o outro, se não casarmos antes com nós mesmos. Conjugar o verbo amar exige capacidade extremamente complexa de, ao legitimar-se na própria singularidade, legitimar a existência do outro".

Sandra Fedullo Colombo in Gritos e Sussurros: trabalhando com casais (p. 35) 


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

"Toda pessoa é uma ilha, no sentido muito concreto do termo; a pessoa só pode construir uma ponte para comunicar com as outras ilhas se primeiramente se dispôs a ser ela mesma e se lhe é permitido ser ela mesma. Descobri que é quando posso aceitar uma outra pessoa, o que significa especificamente aceitar os sentimentos, as atitudes e as crenças que a constituem como elementos integrantes reais e vitais, que eu posso ajudá-la a tornar-se pessoa: e julgo que há nisto um grande valor."

- Carl Rogers in Tornar-se pessoa (p. 33)



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

"Somos tal como o Chapeleiro Maluco, que vivia condenado a um eterno chá da tarde, ou como as Rainhas esbaforidas que percorriam seu mundo de tabuleiro com a mesma pressa inútil do Coelho. São as mesmas determinações inconscientes que regram a lógica estranha dos sonhos, as que influenciam decisivamente nas escolhas da vida e determinam o nosso modo de ser: as fobias, os preconceitos, as dificuldades bobas que nos atrapalham, as compulsões e os desejos que temos. Nossa mente é similar ao País das Maravilhas: um território imprevisível, paradoxal. Se os adultos padecem de males e têm preocupações difíceis de entender para eles próprios, imagine então como é difícil para as crianças, que em geral são levadas na corrente deles sem maiores esclarecimentos. O mundo gira e gira rápido, mas para onde vamos mesmo?"

- Corso & Corso em A Psicanálise na Terra do Nunca (p. 248)



  

quarta-feira, 20 de agosto de 2014


"[...] a apreciação dos outros não me serve de guia. Os juízos dos outros, embora devam ser ouvidos, e levados em consideração pelo que são, nunca me poderão orientar. [...] acabei por achar que apenas uma pessoa (pelo menos enquanto eu estiver vivo e talvez para sempre) pode saber que eu procedo com honestidade, com aplicação, com franqueza e com rigor, ou se o que eu faço é falso, defensivo e fútil. E essa pessoa sou eu mesmo."

- Carl Rogers in Tornar-se pessoa (pp. 34-35).




terça-feira, 19 de agosto de 2014

“O sol também não tem luz própria. 
Ele é apenas um espelho que reflete a luz de Deus.” 

―Jostein Gaarder





segunda-feira, 18 de agosto de 2014

"[...] atribuo um enorme valor ao fato de poder me permitir compreender uma outra pessoa. [...]
Quando alguém exprime um sentimento, uma atitude ou uma opinião, a nossa tendência é julgar imediatamente, na maioria das vezes: 'Está certo', 'que besteira', 'não é normal', 'não tem sentido' [...]
Raramente permitimos a nós mesmos compreender precisamente o que significa para essa pessoa o que ela está dizendo. Julgo que esta situação é provocada pelo fato da compreensão implicar um risco. Se me permito compreender, na realidade, uma outra pessoa, é possível que essa compreensão acarrete uma alteração. 
E todos nós temos medo de mudar".

- Carl Rogers in Tornar-se pessoa (p. 30)



domingo, 17 de agosto de 2014

"Eu não estou me reconhecendo, mas estou me observando. 
Não estou alegre como de costume, mas também não estou triste. 
Contemplar o coração também é uma estrada que deve dar em algum lugar melhor."

- Denise Portes




─ Como um livro deveria ajudar?
─ Acha que as histórias servem pra que? Essas histórias… Os Clássicos? Tem uma razão para nós os conhecermos. São uma maneira para lidarmos com o nosso mundo, um mundo que nem sempre faz sentido.

- Branca de Neve in Once Upon a Time


sábado, 16 de agosto de 2014


"A pessoa é uma humanidade individual."


- Mia Couto


“Caráter é aquilo que você é quando ninguém está te olhando.” 

- Epicuro


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

"Nas minhas relações com as pessoas descobri que não ajuda, a longo prazo, agir como se eu fosse alguma coisa que eu não sou. [...] Não serve de nada agir como se soubesse as respostas dos problemas quando as ignoro.  

    [...]descobri que sou mais eficaz quando posso ouvir a mim mesmo aceitando-me, e quando posso ser eu mesmo [...] tenho a impressão de me ter tornado mais capaz de me deixar ser o que sou."   

Carl Rogers in Tornar-se pessoa (pp. 28-29)


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

"Como Simba, expulso das terras do pai pelas armações do tio e movido pela própria culpa, todos nós vivemos uma espécie de exílio. Cobiçamos estar escolhendo caminhos sem o peso da origem, confundimos separação com rompimento, assim se faz uma adolescência.
O jovem equilibra-se entre o lugar de autor e personagem da própria história. Encarnando o sonho dos adultos, o adolescente acaba submetido a tramas insanas, que são de alguma forma potencialmente letais: se não lutar dentro de si com os sonhos e desejos dos pais e adultos que o subjugam, limitam e cobiçam, acabará sendo abduzido por eles, em um assassinato de sua originalidade. Não nos referimos a uma morte física, mas a uma anulação que acaba mantendo muitos jovens presos a um corpo em eterna evidência, a um presente contínuo, a uma infantilidade de pensamento que lhes embota a visão crítica, um de seus bens mais preciosos. "

- Corso & Corso em A Psicanálise na Terra do Nunca (p. 193)   


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

“Às vezes, não há nenhum aviso. As coisas acontecem em segundos. Tudo muda. Você está vivo. Você está morto. E as coisas continuam. Somos finos como papel. Existimos por acaso entre as percentagens, temporariamente. E esta é a melhor e a pior parte, o fator temporal. E não há nada que se possa fazer sobre isso. Você pode sentar no topo de uma montanha e meditar por décadas e nada vai mudar. Você pode mudar a si mesmo para ser aceitável mas talvez isso também esteja errado. Talvez pensemos demais. Sinta mais, pense menos.”

— Charles Bukowski


"Conquistar um valor frente aos olhos dos outros, para ser amado e respeitado, depende de acertar contas internas com os próprios ideais e permitir-se crescer e aparecer, essa é a nova jornada do herói."

Corso & Corso em A Psicanálise na Terra do Nunca (p. 183)