Total de visualizações de página

sábado, 1 de agosto de 2015

"Todos nós já experimentamos isso na vida. Todos nós, em algum momento, já dissemos entre lágrimas: 'estou sofrendo por um amor que não vale a pena'. Sofremos porque achamos que damos mais do que recebemos. Sofremos porque nosso amor não é reconhecido. Sofremos porque não conseguimos impor nossas regras.
Sofremos à toa: porque no amor está a semente de nosso crescimento. Quanto mais amamos, mais próximos estamos da experiência espiritual.
[...] O verdadeiro amor é um ato de entrega total".

- Paulo Coelho em "Na margem do Rio Piedra eu sentei e chorei" (p. 12)  




sexta-feira, 31 de julho de 2015

"A solidão é um vazio, uma espécie de buraco que se instala dentro da gente. Se este vazio existe, significa que algo foi tirado de dentro de nós e nada tem a ver com a presença de 'outro'. Mostra que nós não estamos dando confiança para os próprios sentimentos. Solidão é a falta da sua atenção por si mesma.
Ter alguém do seu lado que a faça se sentir querida pode até amenizar sua solidão. Mas, na verdade, essa necessidade de valorização mostra que é você que não se valoriza. Por isso, a sensação do vazio.
Ou seja: 'Desejo ter alguém, pois essa pessoa vai me valorizar e, consequentemente, vou me sentir bem e completa'.
Seja generosa com você mesma, dê atenção a si própria e se sentirá preenchida, plena e mais feliz".

- Gasparetto



quinta-feira, 30 de julho de 2015

"A pessoa que ama não tem necessidade de ser perfeita, apenas humana.
Sempre temos medo de fazer alguma coisa por que não podemos fazê-la perfeitamente.
Diz Herbert Otto: 'As mudanças e o crescimento ocorrem quando uma pessoa se expõe e torna-se envolvida com a ideia de experimentar a própria vida".

- Leo Buscaglia em "Amor"  


quarta-feira, 29 de julho de 2015

"Procuramos em vão nossa felicidade ao longe
quando esquecemos de cultivá-la dentro de nós mesmos".

- Rousseau


terça-feira, 28 de julho de 2015

"Não somos prisioneiros do passado. Podemos começar onde estamos. 
Somos suficientes.
Não há 'outros' para culpar - cada um de nós é o outro. Descobrimos, usualmente, se examinamos o comportamento com cuidado, que a impotência emocional, a apatia e a falta de compreensão e resistência à mudança que vemos nos outros são, realmente, nossas. Somos eles. Criamos nossa própria armadilha e somos cegos para o fato de que nós mesmos a fizemos.
[...] Somente nós podemos aceitar-nos e recomeçar. Somente nós podemos decidir que desejamos viver em humanidade plena."

-  Leo Buscaglia em "Assumindo sua personalidade" (p. 30-31) 


segunda-feira, 27 de julho de 2015

"Caminhais em direção da solidão.
Eu, não; eu tenho os livros". 

- Marguerite Duras


"O objetivo da tatuagem nunca foi a beleza. O objetivo maior era a mudança. Desde os sacerdotes núbios escarificados de 2000 a.C. até as cicatrizes moko dos maoris modernos, passando pelo acólitos tatuados do culto a Cibele na Roma antiga, os seres humanos haviam se tatuado como uma forma de oferenda, um sacrifício parcial do próprio corpo, suportando a dor física do embelezamento e sendo por ela transformados.
[...] as tatuagens se tornaram um rito de passagem compartilhado por milhões de pessoas na era moderna[...]
O ato de tatuar a própria pele era uma transformadora declaração de poder, um anúncio ao mundo: eu tenho controle sobre a minha própria carne."

- Dan Brown in "O símbolo perdido" (p. 19)


domingo, 26 de julho de 2015

"Nise da Silveira utilizou animais na terapia de pacientes internos. 
Ela percebeu a facilidade com que esquizofrênicos se vinculavam a cães. 
Em seu trabalho pioneiro com essas pessoas, a médica desenvolveu o conceito de afeto catalisador. Ela parte da ideia de que é importante que o paciente conte 
com a presença não invasiva de um co-terapeuta que permaneça com o paciente, funcionando como ponto de apoio seguro a partir do qual o doente possa se organizar psiquicamente. Silveira afirma que animais são 'excelentes catalisadores: Eles reúnem qualidades que os fazem muito aptos a tornar-se ponto de referência estável no mundo externo', facilitando a retomada de contato com a realidade' ".

- Mente e Cérebro (Fevereiro/2007) 




sábado, 25 de julho de 2015

"Freud sugere responsabilizar nossos pais por todas as falhas da nossa vida, e Marx sugere responsabilizar a classe social privilegiada. 
Mas o único responsável é o próprio indivíduo. 
É o que há de proveitoso na ideia hindu do carma. 
A sua vida é fruto do seu próprio fazer. 
Você não tem ninguém a quem responsabilizar, exceto a você mesmo".

- Joseph Campbell em "O poder do mito" (p. 171) 


sexta-feira, 24 de julho de 2015

"Sofrer é passageiro,
desistir é para sempre".

- Lance Armstrong (ciclista americano) 




"A literatura juvenil é tão importante em nossa cultura porque as histórias que ela conta repetem uma espécie de mito fundador da modernidade: um conto de criança que trata do heroísmo de crescer, se tornar independente, se afastar do amparo dos adultos, descobrir e inventar um destino diferente, autônomo.
[...]
Para significar e garantir a liberdade infantil e adolescente, as crianças protagonistas - de Tom Sayer a Tarzan, passando por Narizinho - são sempre órfãs ou quase. Harry também é órfão. Os pais mortos por Voldemort lhe deixaram um pecúlio suficiente para não se preocupar. Do amor materno, lhe sobra uma proteção permanente contra todo sortilégio assassino. Do pai, uma lição de coragem. Assim, Harry está certo de ter sido amado, mas pode e deve crescer sozinho e livre.

As circunstâncias levam Harry a lutar contra o malvado Voldemort. O órfã se transforma assim em vingador de seus pais e salvador do mundo. Ou seja; ele encarna um paradoxo: é livre para realizar exatamente os sonhos mais ambiciosos de seus pais. Que liberdade é essa? A contradição faz de Harry um compêndio da glória, das dores e das ilusões de nossa subjetividade contemporânea".

Contardo Calligaris in "O segredo de Harry Potter"
Fichamentos para meu TCC com Reginaldo Júnior - "Harry Potter e o adolescente do mundo real" (2009)   
  


quinta-feira, 23 de julho de 2015

"Não recebemos a existência pronta. Devemos construí-la progressivamente." (p. 12)

"Nas viagens enfrentamos encruzilhadas. Que direção tomar? Somos obrigados a decidir em conformidade com nossos valores e com os grandes sonhos que alimentamos. Nas opções emerge o que somos por dentro: heróis e heroínas, fiéis até o sacrifício pessoal. Ou indecisos, covardes, vítimas de nossa própria omissão." 

"[...] herói e heroína é cada pessoa que assume a vida assim como se apresenta: com caos e cosmos, ordem e desordem, com realizações e frustrações" (p. 114) 

- Leonardo Boff in "A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana"  


quarta-feira, 22 de julho de 2015

"Tudo passa? Nada passa!
É isso que ninguém tem coragem de nos dizer. A dor da perda, a dor de fracassar, a dor de não corresponder a uma expectativa, a dor de uma saudade, a dor de não saber como agir, de estar perdida, instável, de ter dúvidas na hora de fazer uma escolha, todas estas dores, que parecem pequenas para quem está de fora, nos acompanharão até o fim dos nossos dias. Elas não passam. Elas ficam. Elas aninham-se dentro da gente, o que não deve servir de motivo para pularmos de uma ponte. Mario Quintana escreveu que nós somos o que temos e o que sofremos. Sem dor, sem vida interior.
Não passam as dores, também não passam as alegrias. Tudo o que nos feliz ou infeliz serve para montar o quebra-cabeça da nossa vida, um quebra-cabeça de cem mil peças. Aquela noite que você não conseguiu parar de chorar, aquele dia que você ficou caminhando sem saber para onde ir, aquele beijo cinematográfico que você recebeu, aquela visita surpresa que ela lhe fez, o parto do seu filho, a bronca do seu pai, a demissão injusta, o acidente que lhe deixou cicatrizes, tudo isso vai, aos pouquinhos, formando quem você é. Não há nenhuma peça que não se encaixe. Todas são aproveitáveis. Como são muitas, você pode esquecer de algumas, e a isso chamamos de "passou". Não passou. Está lá dentro, meio perdida, mas quando você menos esperar, ela será necessária para você completar o jogo e se enxergar por inteiro."

- Martha Medeiros em "Nada passa"


terça-feira, 21 de julho de 2015

"Ao me encontrar com o meu semelhante, terei sempre duas opções:
Posso cobrar, ou posso me doar.
Posso julgar, ou posso perdoar.
Posso falar, ou posso me calar.
Posso me contrariar, ou posso me solidarizar.
Posso questionar, ou posso escutar.

E no final, a vida não se resume em quem ganhou a briga, quem teve razão, quem teve coragem, ou em quem conseguiu qualquer coisa.
No final de tudo, a vida bem vivida se resume àqueles que escolheram amar.

E a escolha não depende do meio, dos fatos, das palavras que saem de você.
Ela só precisa vir de dentro.
Estou no aprendizado de, a cada dia, terminar os meus passos
sempre escolhendo amar."

- @jessicanegra



  

segunda-feira, 20 de julho de 2015

"O céu fez as minhas mãos para que reparassem a tua vida meio desfeita, a minha alma para compreender o teu coração, os meus lábios para beijar os teus pés.

[...] 

O nosso amor não terá a frescura dos primeiros tempos, mas é um amor posto à prova, um amor que conhece a sua força, e que mesmo para além do túmulo, espera ser infinito. O amor, quando nasce, só vê a vida, o amor que dura vê a eternidade."

- Victor Hugo, em "Carta a Juliette Drouet"   



domingo, 19 de julho de 2015

"Um dia a gente cresce e passa a ver as coisas de uma maneira diferente. Percebe que a casa precisa de uma reforma. Limpamos a poeira, retiramos uns galhos secos e parece estar tudo resolvido. Um dia a gente vê que é preciso também purificar a alma de tudo aquilo que a consome aos poucos. Que é preciso extrair o que há de melhor em nós e enfeitar a nossa fachada. Um dia a gente acorda por dentro e valoriza mais o que realmente importa. O amor. As pessoas. O agora. A vida. Um dia o coração vai recolher os seus brinquedos e virar gente grande."

- Wanderly Frota


sábado, 18 de julho de 2015

"Finitude eu sinto quando me dou conta da existência de milhões de pessoas que eu jamais irei conhecer, conversar e interagir. De todas as que poderiam me ensinar a ser mais tolerante, de todas as que poderiam me fazer rir, de todas as que eu poderia amar ou desprezar, sofrer por elas, me esforçar por elas, crescer por meio delas.
Finitude eu sinto quando cruzo um olhar que não me ficará nem na memória, pois não há tempo para lembranças efêmeras.
Um ser humano é o que há de mais rico. Uma vida é o que há de mais original. Surgem e nos atropelam tantas vidas, tantas pessoas para sempre inacessíveis, desperdiçadas nos seus talentos, no seu potencial transformador, na sua capacidade de nos emocionar. A esmagadora maioria delas passa e não fica, são flashes do olhar.
Agarremo-nos, pois, às que ficam, permanecem, são reconhecíveis pelo nome e pelo trajeto percorrido em nós. Aproveitemos o material humano que dispomos: família e amigos e amores. Escassos, raros e profundamente necessários."

- Martha Medeiros em "Finitude" 




sexta-feira, 17 de julho de 2015

"Não guarde mágoas, guarde lembranças;
Não chore lembranças, recorde alegrias;
Não viva do passado, aproveite o presente;
Não fuja do agora, prepare o amanhã;
Você pode, e deve, escolher o roteiro de sua vida;
Apague o que já passou e não retorna mais;
Refaça o seu acervo de lembranças:
As más, relegue ao esquecimento;
Às boas, dê ainda mais brilho..."

- Desconheço o autor


quinta-feira, 16 de julho de 2015

"Uns cantam, uns dançam, outros fazem embaixadas por 24 horas sem deixar a bola cair.
Quem não tem um talento especial acaba se sentindo um penetra nesta festa onde todos têm tido os seus quinze minutos de Caras. Como não se sentir descartado neste planeta de tantos destaques? Simples: valorizando nossos pequenos grandes talentos.

Viver é uma arte. A arte de conversar com desconhecidos, por exemplo. De se revelar em poucas palavras para uma pessoa que não sabe nada de você, e você nada dela, e estabelecer um contato que seja agradável e frutífero para ambas as partes.

A arte de ser pontual. A arte de manter uma amizade por anos a fio.
A arte de se isolar. De penetrar no nosso íntimo, de buscar ajuda na meditação, de deliberadamente não pertencer a grupo nenhum e fundar uma natureza própria, e ainda assim não ser um ermitão, ser apenas alguém que de tempos em tempos se retira para se reencontrar.

A arte de perceber segundas intenções, a arte de se controlar, a arte de fixar prioridades, a arte de não desistir na primeira dificuldade ...
Cada um de nós mereceria ao menos uma reportagem para homenagear nossos dons mais secretos, aqueles que acontecem bem longe dos holofotes. O dom de viver sem aplausos e sem platéia. O glorioso e secreto dom de vencer os dias."  

- Martha Medeiros em "A arte de viver"


quarta-feira, 15 de julho de 2015

"São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. 
Feito flor abraçada por borboleta. 
Feito café da tarde com bolinho de chuva. 
Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. 
Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, 
a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza...." 

- Ana Jácomo


terça-feira, 14 de julho de 2015

"Pedro ouviu no rádio a canção que dizia do homem apaixonado que sentia saudade. Em seu coração pequeno e em sua mente borbulhando novidades, a palavra começava a fazer cócegas…
- O que é saudade?
- Ah, Pedro, saudade é quando você quer alguma coisa que não está mais perto de você.
- Mas o que acontece com a gente se tiver isso?
- A gente fica um pouquinho triste, porque gostaria de ter aquilo de novo e não pode.
- E porque não toma remédio? Aquela gotinha ruim pra passar?
- Porque remédio não funciona neste caso, Pedro.
- E como eu faço pra não pegar saudade?
- Você aproveita bastante as coisas. Por exemplo, você gosta muito da Mimi, não é? Então você aproveita pra brincar muito com ela, e abraçar muito ela.
- Então eu vou lá fora brincar com ela, ta?
- Agora não pode, você precisa dormir! Amanhã de manhã você brinca.
- Mas e se eu pegar saudade? Vai que até amanhã não dá tempo?!
Ele tem razão. Pra evitar a saudade, basta lembrar que amanhã pode ser tarde demais."

- Desconheço o autor


segunda-feira, 13 de julho de 2015

"Tenho para mim que o amor é o que há de mais importante no mundo. Analisar o mundo, explicá-lo, menosprezá-lo, talvez caiba aos grandes pensadores. Mas a mim me interessa exclusivamente que eu seja capaz de amar o mundo, de não sentir desprezo por ele, de não odiar nem a ele nem a mim mesmo, de contemplar a ele, a mim, a todas as criaturas com amor, admiração e reverência."

- Hermann Hesse


"O que valeu a pena hoje?
Sempre tem alguma coisa. Um telefonema. Um filme…
Paulo Mendes Campos, em uma de suas crônicas reunidas no livro “O Amor Acaba”, diz que devemos nos empenhar em não deixar o dia partir inutilmente.
Eu tenho, há anos, isso como lema.

É pieguice, mas antes de dormir, quando o dia que passou está dando o prefixo e saindo do ar, eu penso: o que valeu a pena hoje? Sempre tem alguma coisa.
Uma proposta de trabalho. Um telefonema. Um filme. 
Até uma briga pode ter sido útil, caso tenha iluminado o que andava escuro dentro da gente.

Já para algumas pessoas, ganhar o dia é ganhar mesmo:
ganhar um aumento, ganhar na loteria, ganhar um pedido de casamento, 
ganhar uma partida.

Nas últimas semanas, meus dias foram salvos por detalhes.
Uma segunda-feira valeu por um programa de rádio que fez um tributo aos Beatles e que me arrepiou, me transportou para uma época legal da vida, me fez querer dividir aquele momento com pessoas que são importantes pra mim.
Na terça, meu dia não foi em vão porque uma pessoa que amo muito recebeu um diagnóstico positivo de uma doença que poderia ser mais séria.
Na quarta, o dia foi ganho porque o aluno de uma escola me pediu para tirar uma foto com ele.
Na quinta, uma amiga que eu não via há meses ligou me convidando para almoçar.
Na sexta, o dia não partiu inutilmente, só por causa de um cachorro-quente.
E assim correm os dias, presenteando a gente com uma música, um crepúsculo, um instante especial que acaba compensando 24 horas banais.

Claro que tem dias que não servem pra nada, dias em que ninguém nos surpreende, o trabalho não rende e as horas se arrastam melancólicas, sem falar naqueles dias em que tudo dá errado:
batemos o carro, perdemos um cliente e o encontro da noite é desmarcado.
Pois estou pra dizer que até a tristeza pode tornar um dia especial, só que não ficaremos sabendo disso na hora, e sim lá adiante, naquele lugar chamado futuro, onde tudo se justifica.
É muita condescendência com o cotidiano, eu sei, mas não deixar o dia de hoje partir inutilmente é o único meio de a gente aguardar com entusiasmo o dia de amanhã…"

- Martha Medeiros em "Antes do dia partir"





domingo, 12 de julho de 2015

"Você consegue um bom emprego na hora que bem entender? Você descola um amor do dia pra noite? 
Entre nós, o sim é uma resposta rara. Na maioria das vezes, NÃO há vagas, NÃO temos fiador, a garota NÃO quer ouvir uns discos na sua casa e o guarda de trânsito NÃO foi com sua cara e vai multá-lo, sim, senhor, NÃO está fácil pra ninguém.

Ao contrário do que possa parecer, esta não é uma visão pessimista da vida. 
As coisas são assim, dão certo e errado. Pessimismo é acreditar que ouvir um não seja uma barreira para realizar nossos planos. Tem gente que fica paralisado diante de um não. Nunca mais vai à luta. Já o otimista resmunga um pouco e em seguida respira fundo e segue em frente.
O não é tão frequente que chega a ser banal. O não é inútil, serve só para fragilizar nossa autoestima. Já o sim é transformador. O sim muda a sua vida. SIM, aceito casar com você. SIM, você foi selecionado.
Quando não há o que detenha você, as coisas começam a acontecer, sim."

- Martha Medeiros em "Quanto vale um sim"      


sábado, 11 de julho de 2015

"Fico perplexa diante dessas pessoas que carregam nos ombros uma vela de dois metros de altura para agradecer um emprego, pessoas que sobem trezentos degraus de joelhos para agradecer a volta de um filho pródigo, pessoas que caminham vários quilômetros sob o sol forte por sentirem-se devedoras de uma graça alcançada.
Aprendemos desde cedo que a promessa, para ter algum valor, tem que nos fazer abdicar de algo que gostamos muito. Muitas garotas já prometeram ficar uma semana sem tomar refrigerante caso um determinado carinha ligasse no sábado. Rapazes prometem ficar sem ver futebol na tevê se passarem no vestibular. Mulheres prometem ficar uma semana sem ver novela se o contrato do aluguel for renovado. Sofrimentos mais urbanos e menos trabalhosos, mas, ainda assim, punições.

Outro dia, lendo uma entrevista que o ator José Dummont deu à revista República, fechei com ele: promessa tem que ser pro bem, não pro mal. Em tom de brincadeira, ele disse que, para conquistar o que quer, promete que vai passar o dia sorrindo, promete que vai dizer bom-dia para todos que cruzarem na sua frente, promete que vai tratar bem de si mesmo. Gênio.

Agradecer com orações é uma coisa. Agradecer com esfoliações, outra. Eu prefiro agradecer ouvindo música, procurando os amigos, levando as situações com bom humor, cumprindo minhas responsabilidades, dormindo tranquila, lendo poemas, fazendo ginástica. Agradeço usufruindo a saúde que recebi, e não entregando-a feito um dízimo cobrado de todos os que têm seus sonhos atendidos. Ser infeliz, sim, é que devia ser pecado".

- Martha Medeiros em "Prometa não sofrer"       


sexta-feira, 10 de julho de 2015

"As mulheres gostam que lhes digam palavras de amor. 
O ponto G está nos ouvidos.
Inútil procurá-lo em outro lugar."

- Isabel Allende




quinta-feira, 9 de julho de 2015

"Eu vi ainda debaixo do sol que a corrida não é para os mais ligeiros,
nem a batalha para os mais fortes,
nem o pão para os mais sábios,
nem as riquezas para os mais inteligentes,
mas tudo depende do tempo e do acaso. (Eclesiastes)

A esse tempo e acaso, acrescento o grão do imprevisto.
E o grão da loucura que é infinita na nossa finitude."

- Lygia Fagundes Telles in "Oito contos de amor" (p. 06) 



quarta-feira, 8 de julho de 2015


"Quem cultiva esperança colhe felicidade. 
A paz começa dentro, o mundo é só espelho". 

- Vitor Ávila



terça-feira, 7 de julho de 2015