Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

"E hoje, nos achados e perdidos, encontrei um sorriso que não dei, 
uma chance que perdi, uma oportunidade que me passou batida. 
Encontrei uma fé empoeirada, um sonho esquecido. 
Então, peguei tudo de volta delicadamente, e disse à vida: 
Nada vai me fazer perder oportunidades novamente."

- Michelle Trevisani


terça-feira, 29 de setembro de 2015

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

"Que eu consiga alcançar estrelas e tenha a sabedoria de guardá-las, 
para as situações de escuridão absoluta. 
Que quando nada mais parecer dar certo e a esperança tiver ficado para trás, 
corroída pelas traças na gaveta do esquecimento, eu invente. 
Que a raiva não me cegue. 
Que o medo não me trave. 
Que a liberdade não me assuste.
E que nunca, jamais, em tempo algum, eu deixe de acreditar. Amém!"

- Duda Araújo


domingo, 27 de setembro de 2015

"Há muito a ser feito pelas pessoas desse planeta mas, 
sem que se faça por si mesmo primeiro,
não há como estar apto a entregar o seu melhor às pessoas."

- Christyano Malta


sábado, 26 de setembro de 2015


“Retribua com flores a todas as pedras que te atirarem. 
Haverá um momento em que as pedras dos seus inimigos acabarão, 
e assim eles só poderão atirar em você as próprias flores que receberam de ti.”

- Augusto Branco


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

"Quando todas as portas estão fechadas, e você não tem para onde ir,
você vai para dentro de si mesmo.
Cada crise é uma oportunidade e um recomeço."

- Sri Sri Ravi Shankar  


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

"Mudança acontece por duas razões:
Ou você aprendeu o suficiente e quer mudar,
ou você sofreu o suficiente e têm que mudar".

- Kaballah Center


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

[...] aprendi com as experiências da vida o bastante para entender que às vezes as intervenções do destino podem ser entendidas como convites para enfrentar e até superar os nossos medos. Não é preciso ser um grande gênio para admitir que, quando as circunstâncias nos empurram a fazer a única coisa específica que mais detestamos, no mínimo essa pode ser uma oportunidade interessante de crescimento."

- Elizabeth Gilbert in "Comprometida" 
p. 42-43





"Acredita que vale a pena viver,
e a tua convicção ajudará a criar esse fato".

- William James


terça-feira, 22 de setembro de 2015

"Amigo, não seja um perfeccionista. Perfeccionismo é uma maldição e uma prisão. 
Quanto mais você treme, mais erra o alvo. Você é perfeito, se se permitir ser.

Amigo, não tenha medo de erros. Erros não são pecados. 
Erros são formas de fazer algo de maneira diferente, talvez criativamente nova.

Amigo, não fique aborrecido por seus erros. Alegre-se por eles. 
Você teve coragem de dar algo de si."

- Fritz Perls


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

"Faça do obstáculo o seu trampolim"

- Autor desconhecido 


domingo, 20 de setembro de 2015

"A vida é a coisa mais frágil, instável e imprevisível que existe. [...]  
Comecei a chorar. Meu pai disse:

'Se você soubesse que hoje é seu último dia de vida, você passaria ele chorando?'

Está aí uma excelente forma de engolir o choro e de encontrar esperança onde pensava não existir nada.
Falei com meu pai que tudo estava dando errado. Ele disse:

'Sobre essas coisas que aconteceram, não tem mais o que fazer.
Mas o que acontecerá depois depende de você".

- Ique Carvalho




sábado, 19 de setembro de 2015

"Quando não podemos mais mudar uma situação,
somos desafiados a mudar a nós mesmos".

- Viktor Frankl 


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

"Estudos comprovaram que, dentre as coisas que nos preocupam na vida,
87% nunca chegam a acontecer;
7% acontecem de fato;
6% podem ter o resultado influenciado por nós.

Isso significa que a maioria das coisas com que nos preocupamos não acontecem e que temos pouco ou nenhum controle sobre as poucas coisas que de fato ocorrem.
Consequentemente, não vale a pena nos preocuparmos com as coisas que tememos.

Aborde o medo (fear, em inglês), considerando o que ele realmente é:
Falsa
Evidência
Aparentemente
Real    

O medo nada mais é do que uma reação física ao ato de pensar sobre consequências que não desejamos. A maior parte dos seus temores jamais se concretizará. Logo, seus medos nada mais são do que:
Ago falso que aparenta ser real.

Nunca pense naquilo que não deseja que aconteça.  Pense apenas no que você quer que aconteça de fato, independentemente do resultado final. Em geral, obtemos aquilo em que pensamos".

- Allan e Barbara Pease in "Como conquistar as pessoas" (p.78)


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

"Há quanto tempo você não chora? Muito? 
Como era bom chorar! Hoje, no máximo, os olhos se enchem de lágrimas - 
mas só em uma cena emocionante de um filme ou livro. 
Por nossos sofrimentos, quase não choramos. 
Às vezes, contando um sonho ao analista, nossos olhos até se enchem, 
mas aquele choro grande que terminava em soluços e sempre motivava alguém 
a nos dar um ombro - imediatamente aceito - e nos abraçar forte, 
esse choro faz tempo. E esse ombro e esse abraço também. 

[...] E alguém tem tempo de sentir saudade de alguma coisa nessa correria?
Mas estou sendo injusta: se de uma coisa se tem saudade, é do tempo 
em que se chorava. Não das razões que levavam a isso, mas da capacidade 
não só de sentir como também de demonstrar. Hoje nos defendemos a tal ponto 
que fingimos não sentir nada. E, de tanto fingir, acabamos não sentindo mesmo. 
O coração vai virando uma pedra, sem sofrimento, mas também sem ternura, amizade, carinho, bondade, solidariedade. 
E, para não sofrer, descartamos da vida também o amor, é claro. 
Boas razões, aliás, para cair no choro".
   

- Danuza Leão in "Chorar era bom" - Revista Cláudia Setembro/2015 


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

"Na paixão, o sujeito apaixonado não possui o objeto amado, mas é possuído 
por ele. Por isso, o sujeito apaixonado não está em si próprio, 
na posse de si mesmo, no autodomínio, mas está fora de si, dominado pelo outro,
cativado pelo alheio, alienado, alucinado.
Na paixão se dá uma tensão entre liberdade e escravidão, no sentido de que
o que quer o sujeito é, precisamente, permanecer cativo, viver seu cativeiro,
sua dependência daquele por quem está apaixonado.
Ocorre também uma tensão entre prazer e dor, entre felicidade e sofrimento,
no sentido de que o sujeito apaixonado encontra sua felicidade ou ao menos
o cumprimento de seu destino no padecimento que sua paixão lhe proporciona."

- Jorge Larrosa Bondía in "Notas sobre a experiência e o saber de experiência"

    

terça-feira, 15 de setembro de 2015

"Não é que seja exatamente corajoso, meu coração tem é isso de bom: 
não ocupa espaço com mágoas e, com o tempo, ele se tornou desmemoriado 
pra assuntos de frustração. Quando me dou conta, lá está ele amando de novo, sorriso de orelha a orelha, com tal frescor que parece que nunca foi ferido. 
Dá, sim, pra ver uma cicatriz aqui e ali, outras mais adiante, que cicatriz não morre, mas ele não liga. Nem eu. Não é que seja exatamente teimoso, 
meu coração tem é isso de bom: gosta de amar. Eu também."

- Ana Jácomo





segunda-feira, 14 de setembro de 2015

"Dar a mão a alguém 
sempre foi o que esperei da alegria".

- Clarice Lispector in "A paixão segundo G.H."


domingo, 13 de setembro de 2015

"A experiência, a possibilidade de que algo nos aconteça ou nos toque, requer um gesto de interrupção, um gesto que é quase impossível nos tempos que correm: requer parar para pensar, parar para olhar, parar para escutar, pensar mais devagar, olhar mais devagar e escutar mais devagar; parar para sentir, sentir mais devagar [...] cultivar a atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos, falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão, escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço.

[...] É experiência aquilo que 'nos passa', ou que nos toca, ou que nos acontece,
e ao nos passar nos forma e nos transforma. Somente o sujeito da experiência está,
portanto, aberto à sua própria transformação."

- Jorge Larrosa Bondía in "Notas sobre a experiência e o saber de experiência" 




sábado, 12 de setembro de 2015

"A própria loucura é um referencial cuja lógica interna poderá ser
 aquela de criar uma barreira rígida, de tal modo que o Espaço Vital 
seja considerado propriedade exclusiva do seu senhor.
Torna-se um campo fechado, aparentemente sem conexão aberta
 para os outros campos.
Às vezes, recolher-se é o único ato possível e inteligente 
para poder sobreviver".

- Jorge Ponciano Ribeiro em "Gestalt Terapia de curta duração" (p. 32-33)

   

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

"O cuidado somente surge quando a existência de alguém tem importância para mim. Passo então a dedicar-me a ele; disponho-me a participar de seu destino, de suas buscas, de seus sofrimentos e de seus sucessos, enfim, de sua vida. [...] Estamos diante de uma atitude fundamental, de um modo de ser mediante o qual a pessoa sai de si e centra-se no outro com desvelo e solicitude".

- Leonardo Boff


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

"Fé é o pássaro que sente a luz e canta 
quando a madrugada é ainda escura."

- Tagore



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

"Amor que é amor dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor. 
O amor resiste à distância, ao silêncio das separações [...]. 
Sem perdão não há amor. 
Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer 
quem você mais amou. 
O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão. 

Você o percebe no momento em que o outro fez tudo errado, 
e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz:
 'Mesmo fazendo tudo errado eu não sei viver sem você. 
Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto.' 

O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração que sozinhos 
jamais poderíamos enxergar."

 - Pe. Fábio de Melo 



terça-feira, 8 de setembro de 2015

"Não acredito em alma gêmea, destino, tampa da panela, metade da laranja, linhas da mão, horóscopo, ou que as diferenças se atraem. 
Eu acredito na sinceridade de duas pessoas que fariam tudo uma pela outra 
sem esperar nada, a não ser um sentimento recíproco em troca, 
sem frescura, sem romantismo, apenas amor, compreensão e paciência."

— Sean Wilhelm



    


segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Carta a uma amiga

Kris, antes de ontem assisti "Jogo de Cena" e ontem "Edifício Master". Muito bons! Que sensibilidade tinha esse Eduardo Coutinho ... 
Do primeiro, me marcaram as duas mães: a primeira, que perdeu o filho logo que nasceu e em um sonho teve a compreensão de que isso foi um ato de compaixão de Deus para evitar sofrimentos ao bebê e à mãe. A outra, a mãe que perdeu seu filho em um assalto e teve um certo alívio ao sonhar com ele, que havia se diplomado em anjo ... Mas ainda sente que Deus fez uma maldade com ela e que Ele nunca lhe disse porque levou seu filho ... As mães são tão imensas, tão profundas ... E nessas duas, essa relação direta com o divino.
Pra aliviar ou pra questionar, já que o ser humano é incapaz de responder às questões mais essenciais e existenciais ...

Em Edifício Master, fiquei esperando a tua Daniela. Intrigante mesmo. Mas pra mim, marcou mais o Antonio Carlos, falando de sua infância, se emocionando ... Mas todos, todos tão únicos... e essa coragem linda de se expor. De se mostrar, no mais secreto, na dor e delícia de ser o que é. Não sei se percebem como são preciosos. Todos nós somos. Eu não tinha visto os documentários do Coutinho, mas sempre amei os programas que a Regina Casé fazia nos anos 90, tipo "Brasil Legal". Aí, ela viajava e encontrava qualquer pessoa em suas andanças, e pedia pra que ela contasse sua história, e saia tanta coisa linda dali ... isso me fascinava, acho que por isso eu escolhi a Psicologia. Pra ouvir histórias. E crescer com elas. E aquele que conta, muitas vezes enxerga isso também - de como é único. Raro. Rico de vivências.

Minha câmera está preparada para gravar a canção da minha vida. O ano eu já sei, o momento também ... Difícil escolher a música. Porque naquele momento tinha pelo menos umas cinco que eu ouvia, cantava e sofria ... e tinha uma certa beleza voltar o disco para aquele ponto (não era cd ainda) ... e deixar doer de novo ... e fico tentando escolher qual letra traduz melhor os sentimentos daqueles dias. Queria que minhas músicas fossem mais chiques, mais requintadas ... mas meu gosto musical na época era duvidoso. Melhor assim, porque quando a vida escolhe nossa trilha sonora ela não se preocupa com a moda, mas sim com o que está por trás - o sentimento, o sentido.

Nesse feriado, esse meu longo recado pra você, afirmando minha dependência da tua amizade. Beijos!


"O terapeuta não faz, ele se faz com o outro. Desce a corredeira no mesmo barco
 que o cliente e apenas discute com ele a melhor opção. 
A escolha da melhor passagem é do cliente. 
O terapeuta discute com ele o melhor caminho e o ajuda a visualizá-lo. "

- Jorge Ponciano Ribeiro em "Gestalt-terapia de curta duração" (p. 36)


domingo, 6 de setembro de 2015

"Tenho uma amiga que quando percebe que eu estou triste costuma me perguntar quem roubou a minha caixa de lápis de cor. Tem vez que nem pergunta, apenas comenta: 'poxa, dessa vez levaram as cores que você mais gosta!' A tristeza afrouxa um pouco, por mais que eu esteja chateada. Primeiro, porque é muito bom a gente se sentir olhado com carinho. Depois, porque essa expressão tem uma inocência capaz de fazer gente grande tocar em coisas sérias sem ficar com medo de queimar a mão. 

De vez em quando, ao ouvir a pergunta, acontece de uma lágrima ou outra escapulir, afeitos que alguns sentimentos são a desaguar no rosto quando o coração fica apertado. Mas, algumas vezes, quando eu choro diante dessa indagação não é pelas cores que não encontro na caixa nem por lembrar de quem supostamente as roubou. Choro por perceber que ainda dou aos outros o poder de roubá-las. 
Por notar que, no fim das contas, quem rouba os meus lápis de cor preferidos 
sou eu."

— Ana Jácomo  



sábado, 5 de setembro de 2015

"Eu aprendi que, sim, há um tesouro na dor. 
Ela é chata, deixa a alma inquieta, faz o coração e a cabeça doer, 
mas é capaz de proporcionar tanto aprendizado... 
Ela é capaz de despertar aquele amor próprio que estava dormindo, 
aquela coragem para seguir adiante e deixar um passado ruim para trás. 
Ela é uma pedra no sapato, mas acredite em mim, 
também é uma ótima professora. Depende de como a enxergamos. "

- Laureane Antunes


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

“Felicidade genuína não vem do que tiramos e recebemos, 
mas do que trazemos e oferecemos ao mundo. 
Não vem das experiências que surgem aos nossos olhos, 
mas dos olhos que levamos à experiência. 
A felicidade não vem do que acontece fora de você, 
mas do que você cultiva internamente”.

- Gustavo Gitti


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

"Como ser de possibilidades, o homem é novo a cada momento que passa, e ele se torna possível e viável quando, olhando suavemente para dentro de si mesmo, percebe-se mais belo, mais inteligente, mais capaz e livre do que se imaginava.

As pessoas não sabem mais olhar para dentro de si mesmas e se ver como são: imensas, sagradas, plenas de potencialidades. É função da psicoterapia colocar a pessoa, a todo instante, diante de si mesma, olhando-se sem prevenção, sem desprezo, sem culpa de querer ser feliz, mas com amor, orgulho de si mesma, com fascínio e celebração da própria realidade".

- Jorge Ponciano Ribeiro in "Gestalt-Terapia de curta duração" (p. 31)   


quarta-feira, 2 de setembro de 2015

"Para correr atrás dos sonhos
 não se pode ser sedentário com os dilemas da vida.
E isso é Exercício diário."

- Fernanda Gaona


terça-feira, 1 de setembro de 2015

"A afetividade deve ser pensada como a possibilidade de ser afetado por qualquer tipo de interferência vivenciada pelo homem no seu existir [...] Afeto quer dizer sofrer uma ação, ser modificado ou influenciado por essa ação. [...] A tendência ou capacidade para reagir facilmente aos sentimentos e emoções; reação de agrado ou desagrado com relação a algo ou alguém. [...] O que nos toca nos é dado vindo a nós como um acontecimento, uma situação fenomenológica. Cada experiência que a pessoa tem a afeta em sua totalidade. É uma vivência em que todas as dimensões estão concorrendo de algum modo e em algum grau de intensidade".

- Piccino