Total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de julho de 2016

"A maioria dos nossos traumas vem através da perda, da morte, do divórcio, da saúde em declínio, das crises financeiras e das amizades rompidas. Não há vida que esteja livre dessas experiências emocionalmente dolorosas. Não há como evitá-las. Fazem parte da realidade da existência.
[...]
Leva tempo para aceitarmos a irreversibilidade de uma perda. O reajuste a uma vida que nunca mais será a mesma pode expor fraquezas interiores da pessoa - é preciso muita coragem com frequência para nos adaptarmos e prosseguirmos. Mas também pode relevar forças e recursos que não sabíamos que tínhamos.
[...]  
O tempo de sofrimento ou de perda da esperança pode ser o despertar que nos abre para nós mesmos, que nos dispersa a ignorância e que apaga falsas percepções.
O único trauma duradouro é o que sofremos sem uma mudança positiva". 

- Leo Buscaglia in "Nascido para amar" (p. 202)


3 comentários: