Total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

"Nossos hospícios estão ficando cada vez mais lotados. Eu estava trabalhando na Prevenção de Suicídios em Los Angeles, e o meu telefone tocava dia e noite, de modo que deve haver alguma coisa errada em algum lugar. Estamos desnorteados e acho que um dos motivos é essa ideia de que "eu o amo se". Se todos tivessem pelo menos uma pessoa na vida que dissesse: 'Eu o amo, de qualquer jeito. Eu o amo mesmo que seja burro, que escorregue e caia de cara, que erre, que se comporte como um ser humano ... eu o amo de qualquer jeito', então nunca haveriam de acabar num hospício. E é assim que deveria ser o casamento. Mas é assim? E é assim que deveria ser a família. Mas é assim?
[...] O ser humano precisa de alguém que se interesse por ele. Mais uma vez, uma pessoa, apenas, mas alguém que realmente se interesse."

- Leo Buscaglia em "Vivendo, amando e aprendendo" (p. 68)   


Nenhum comentário:

Postar um comentário