Total de visualizações de página

domingo, 13 de setembro de 2015

"A experiência, a possibilidade de que algo nos aconteça ou nos toque, requer um gesto de interrupção, um gesto que é quase impossível nos tempos que correm: requer parar para pensar, parar para olhar, parar para escutar, pensar mais devagar, olhar mais devagar e escutar mais devagar; parar para sentir, sentir mais devagar [...] cultivar a atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos, falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão, escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço.

[...] É experiência aquilo que 'nos passa', ou que nos toca, ou que nos acontece,
e ao nos passar nos forma e nos transforma. Somente o sujeito da experiência está,
portanto, aberto à sua própria transformação."

- Jorge Larrosa Bondía in "Notas sobre a experiência e o saber de experiência" 




Nenhum comentário:

Postar um comentário