Total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

"Normalidade como liberdade: alguns autores de orientação fenomenológica e 
existencial propõem conceituar a doença mental como perda da liberdade existencial (Henri Ey, por exemplo). A saúde mental estaria vinculada às possibilidades de transitar, com graus distintos de liberdade, sobre o mundo e sobre o próprio destino. A doença mental é constrangimento do ser, é fechamento, fossilização das possibilidades existenciais. O psiquiatra Cyro Martins, do Rio Grande do Sul, afirma que, dentro desse ponto de vista, a saúde mental poderia ser vista como a 
possibilidade de dispor de “senso da realidade, senso de humor e de um sentido poético perante a vida”, atributos esses que permitiriam ao indivíduo relativizar os sofrimentos e limitações inerentes à própria condição humana e, assim, desfrutar do resquício de liberdade e prazer que a existência nos oferece."


http://www.macjorge.pro.br/pdfs/aulas/psicopatologia_geral/Conceito_de_normalidade_em_psicopatologia.pdf


Nenhum comentário:

Postar um comentário