Total de visualizações de página

terça-feira, 11 de agosto de 2020

"Que ninguém precise conhecer a dor da perda para aprender o privilégio de se ter".

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

"O melhor lugar do mundo às vezes é o cantinho do ombro. Um lado do sofá. 
Um abraço amado.
Um momento de silêncio. Um olhar que nos entende. Os pés descalços, em casa. 
O coração da gente.
O melhor lugar do mundo é onde a vida respira tranquila".
- Ana Jácomo

domingo, 9 de agosto de 2020

"Naquele tempo eu ainda não sabia que certezas às vezes se desmancham como nuvens no céu da nossa mente. Que aquele que é tão bacana pode também se comportar com rudeza ao se sentir inseguro. Que nem sempre as pessoas serão sensatas como esperamos. Que a gente chama de amor um monte de coisas que não são amor.
Eu ainda não sabia que quando a gente mais precisa de auxílio, tem gente querida que não consegue ajudar, não pelo o que é nosso, mas pelo o que é delas. Eu ainda não sabia que a gente não sabe de nada. Que a dor, invariavelmente, está na jornada da alma. Que a borboleta fala também de um aperto que sorriu. Que a gente não imagina, enquanto não precisa, a própria força que tem.
Eu ainda não sabia que amadurecer pode ser tão bom. Que viver é simples, mas não é fácil não.Que, não importa o que acontecer, tem gente que fica mesmo do nosso lado. Que Deus nos protege das maneiras mais inimagináveis e carinhosas. Que existe, sim, gente bem maldosa. Que julgar alguém é ainda mais inadequado do que a gente já dizia saber.
Eu ainda não sabia que companheirismo amoroso é dádiva. Que a amizade é tão importante, por mais que eu já chamasse algumas pessoas de amigas. Que família nos acompanha pra sempre, mesmo longe. Que doença, é verdade, pode acontecer pra todo mundo. Que velhice, é verdade, mais do que eu já havia visto, alcança mesmo o nosso corpo.
Eu ainda não sabia que os anjos existem de verdade. Que o Universo tem tantos segredinhos. Que parte dos nossos olhos é magia. Que uma luz, no escuro, reconhece logo a outra. Que o que nos salva todo dia é a poesia que existe em tudo. Eu ainda não sabia que grande parte das mudanças acontece de repente.
Eu não sabia. A vida conta pra gente".
- Ana Jácomo


sábado, 8 de agosto de 2020

"Confie no seu recomeço. Quando você aceita o fim das coisas, 
o Universo entende que você está pronto pra recomeçar".

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Um dia isso vai ser engraçado

Um dia isso vai ser engraçado.

Você vai tomar um gole de vinho e sorrir enquanto diz “tu lembra quando parecia que não ia passar?”.

Vai rir quando lembrar que prometeu nunca mais amar, sem saber que só os românticos  dizem isso.

Um dia você não vai mais sentir o cheiro dessa pessoa em lugares aleatórios, vai ouvir novamente as canções de vocês sem chorar, vai dormir sem pensar “o-que-será-que-ele-tá-fazendo-agora?” ou “será-que-ainda-dói-pra-ele-também?”

Você vai conhecer outras pessoas. Talvez algumas delas não sejam muito legais, preciso avisar. Vai ver que nenhuma delas é como o amor que você perdeu, então vai doer. 

Nesse processo, você provavelmente vai beijar outras bocas buscando a sensação que sentia com ele e descobrirá que Carpinejar tinha razão quando disse que “não adianta procurar o beijo que você ama em outra pessoa. O gosto do beijo não é o gosto da boca. O gosto do beijo é o gosto do amor".

Até que um dia, dia este que a gente nunca sabe exatamente quando é, depois de muito choro, muitos beijos, muitas noites sem dormir, você verá beleza no mundo outra vez. Se olhará no espelho e decidirá não desistir de si mesma. Vai sentir a dor diminuindo aos pouquinhos, até que seja só cicatriz.

As músicas voltarão a ser bonitas, os perfumes serão só perfumes, e você entenderá que, mesmo quando não dura para sempre, o amor é bom.

Retire cada lição necessária da dor. Um dia por vez, respeitando seu tempo, deixando a ferida sangrar até estancar. 

Cada dia de dor que você suporta hoje, é um dia a menos para a felicidade chegar.

Não é auto-ajuda. Não é texto de motivação. É uma certeza: isso também passa.

- Escrito por Drica Serra (A menina e o violão)


quinta-feira, 6 de agosto de 2020

"Corpo 
é aquilo que o Mundo mais percebe sobre a pessoa que sou, em vez de me perguntar sobre os meus planos, as minhas conquistas e o meu passado. É a parte da minha existência que aparece na frente do espelho, infelizmente escuta comentários alheios e irracionalmente se condena quando alguém acha que algo nele é feio. nada nele é feio. tudo nele é meu.

é a casa que habito; e se algo nela mudar, que seja escolha de quem mora aqui e não de quem só veio visitar".

- João Doederlein  

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Surpresas Dadivosas ______ Ana Jácomo

"Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. 
As belezas que se mostram sem fazer suspense. 
As afeições compartilhadas sem esforço. 
As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. 
As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, à espera da nossa entrega apreciativa.
A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade.

Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. 
Os encantos que desnudam o erotismo da alma. 
Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa. 
Os improvisos bons que desmancham o penteado arrumadinho dos roteiros da gente. 
Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. 
Abençoada seja a leveza, meu Deus.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. 
Que amar e ser amado pode ser mais fluido. 
Que dá pra girar o dial. 
Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve.

Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. 
Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. 
Que dá pra mudar o foco. 
Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem. 
Elas não sabem o quanto às vezes, tantas vezes, nos salvam de nós mesmos".

- Ana Jácomo




terça-feira, 4 de agosto de 2020

"Então ficamos combinados assim: Soframos apenas pelo que for realmente catastrófico!
A situação não tem remédio? Então não adianta chorar!
A pessoa não presta? Então não adianta insistir!
O colega não concorda? Então não adianta discutir!
O amor acabou? Então não adianta ficar!
A persistência só é perseverança quando aplicada sobre nós próprios, caso contrário é teimosia.
Nossa vida já é demasiadamente desafiante para tentarmos dirigir a do outro".
- Caciano Camilo Compostella - @mongerosacruz   

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

"o tanto que usei 'se eu pudesse'
quando na verdade eu podia

infelizmente demora demais
pra reconhecermos nosso tamanho" 


- Ryane Leão em "Tudo nela brilha e queima"  (p. 170) 


domingo, 2 de agosto de 2020

"No meu coração, eu me perdoo pelas bobagens desastrosas que fiz. Pelas escolhas equivocadas das quais eu me arrependo à beça. Por ter ferido lindezas, sem querer. Por ter deixado ir embora gente querida que adorei ter conhecido.

No meu coração, eu me perdoo pelas vezes em que dei tanto poder ao outro e esqueci o meu. Por deixar roubarem, sem compaixão, os meus lápis de cor preferidos. Por chamar de amor o que contraria a essência dele. A cara dele. A luz que ele tem.

No meu coração, eu me perdoo por não ter dito o que certamente hoje eu diria. Por não ter tido sensibilidade para compreender preciosidades que me foram ditas sem palavras. Por me faltar em instantes em que precisei tanto de mim. Por, às vezes, faltar ao outro quando ele mais precisava.

No meu coração, eu me perdoo por demorar tanto a descobrir o que mais me importava. Por em tantos momentos dar prioridade ao que não merecia. Pelas vezes em que agi de modo tão contraditório às minhas próprias crenças.
Pelos momentos em que permiti que fizessem bagunça com o que era tão precioso.

Foi por medo. Ingenuidade. Ignorância. Confusão. Lá, era tudo que eu sabia. Lá, era tudo que eu podia.

Aprendiz, eu me abençoo, no meu coração".

- Ana Jácomo


sábado, 1 de agosto de 2020

"a experiência espiritual é sobretudo uma experiência prática de Amor. E no Amor não existem regras. Podemos tentar seguir manuais, controlar o coração, ter uma estratégia de comportamento - mas tudo isso é bobagem. O coração decide, e o que ele decidir é o que vale.
Todos nós já experimentamos isso na vida. Todos nós, em algum momento, já dissemos entre lágrimas: 'estou sofrendo por um amor que não vale a pena'. Sofremos porque achamos que damos mais do que merecemos. Sofremos porque nosso amor não é reconhecido. Sofremos porque não conseguimos impor nossas regras.
Sofremos à toa: porque no Amor está a semente de nosso crescimento. Quanto mais amamos, mais próximos estamos da experiência espiritual. [...] Porque quem ama venceu o mundo, não tem medo de perder nada. O verdadeiro amor é um ato de entrega total.
[...]
O monge Thomas Merton dizia: 'A vida espiritual se resume em amar. Não se ama porque se quer fazer o bem, ou ajudar, ou proteger alguém. Se agimos assim, estamos vendo o próximo como simples objeto, e estamos vendo a nós mesmos como pessoas generosas e sábias. Isto nada tem a ver com amor. Amar é comungar com o outro, e descobrir nele a centelha de Deus".

- Paulo Coelho em "Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei" (p. 11-13).


sexta-feira, 31 de julho de 2020

A sexualidade ainda é um tabu, especialmente para boa parte das mulheres.

Aproveito o Dia do Orgasmo para compartilhar esse texto incrível e desejar a tod@s uma existência prazerosa!

#Repost @sexoamorepsique

• • • • • •

Que viver seja uma experiência orgástica pra você! ⁣
Que você goze a vida, a alegria de estar viva; ⁣
Que goze seu corpo, seu potencial orgástico, a fonte de prazer e realização que ele é; ⁣
Que você goze a capacidade de reconhecer o valor e a importância que a sua sexualidade ocupa na sua vida e na sua relação consigo e com o outro; ⁣
Que você goze de presença e consciência nas suas relações, que seja capaz de viver no aqui e agora é deixar de lado tudo aquilo que lhe afasta da chance de perceber o quanto é prazeroso viver um momento de cada vez. ⁣
Que você goze de autoconfiança, de relaxamento e autoestima, pra não depender da validação do outro pra se achar digna de amor e respeito. ⁣
Que você goze da capacidade de sorrir, de gargalhar até doer a barriga e também de muita resiliência e perseverança pra não desistir dos seus sonhos. ⁣
Que você goze da habilidade de dizer “não”, de delimitar seu espaço e de impor suas fronteiras quando necessário. ⁣
Que viver seja mais do que produzir, mais do que se resumir aquilo que você tem. ⁣
Que a vida seja leve, flexível, dinâmica e incrivelmente prazerosa, como um orgasmo. ⁣
Feliz Dia do Orgasmo. ⁣
Texto por: @sexoamorepsique



"O abraço é a necessidade que temos de levar um pouco dos outros conosco, 
e acima de tudo de deixar um pouco de nos vivos nos braços do outro." 
- Ruy Barbosa


quinta-feira, 30 de julho de 2020

"difícil mesmo é encontrar alguém cuja conexão faz sentido.
alguém que você fala 'vamo' e a pessoa responde: agora! 
alguém que assista às suas derrotas e ainda assim permanece ao teu lado,
alguém com quem você pode ser 100% você
e não ter vergonha alguma disso"
- textos cruéis demais para serem lidos rapidamente  

quarta-feira, 29 de julho de 2020

- Não me importo - eu disse para ele - que seja breve o nosso encontro. 
Porque no tempo da minha memória somos pra sempre. 
Não existe morrer dentro, é como uma canção. 
As canções não morrem nunca porque elas moram dentro das pessoas 
que gostam delas".

Aline Bei em "O peso do pássaro morto" (p. 112).


terça-feira, 28 de julho de 2020


"ela me contou
que o sonho dela era ser pássaro
quando desabou não teve jeito
acabou encontrando asas no peito
e soube que são essas as que levam pra todo lugar"


- Ryane Leão em "Tudo nela brilha e queima" (p. 22).




segunda-feira, 27 de julho de 2020

"se você for embora de alguém, 
o que pode acontecer amanhã ou mês que vem, 
certifique-se de que sua ida não será o começo 
da derrocada dela, de sua descrença 
em relacionamentos.

certifique-se de que você não será o ponto central 
pra que ela deixe de acreditar no amor.
tenha certeza de que você não será a pessoa a quem ela se referirá pra dizer que nunca mais vai querer relação alguma.

se quiser ir embora de alguém, 
mês que vem ou daqui a duas semanas, 
assegure-se de que sua ida não será um soco
no estômago
não pisará em todos os sonhos que ela tinha 
de conhecer alguém bacana e gentil
de que sua ida não será, pra ela, um motivo pra desistir de coisas, pessoas e situações.

porque a gente consegue, sim, 
ir embora de alguém sem dor.

a gente consegue, sim, deixar a luz do cômodo acesa 
pra que ela não se perca em si mesma
mas continue iluminada.

se você for embora de alguém
certifique-se de que deixou seu coração tranquilo
sabendo que há pessoas que não foram feitas 
umas pras outras mesmo,
e tudo bem.

tenha certeza de que sua ida não será o marco pro qual ela vai olhar e se arrepender de ter vivido.

a gente precisa entender que nem todo o fim é sobre dor ou grandes feridas.
às vezes é só a vida nos permitindo sair e apreciar outros céus, enxergar outros olhos, se arranjar em outros corações, habitar outras peles, vestir outras emoções.

se você for embora de alguém
certifique-se de que sua ida não seja pra ela o começo 
da incredulidade na vida
o motivo pra ela nunca mais tentar.
porque o gesto mais bonito que pode existir no fim
é a possibilidade implantada de outros 
e novos recomeços.

se terminou
é porque começou algo em um novo tempo
com outro alguém – nem que seja consigo mesmo.

se você for embora de alguém
certifique-se de que sua ida não será a mágoa 
que se estende e fica entre os dois.

que num futuro próximo
talvez
vocês consigam se encontrar
pra entender que 
é no fim que a gente compreende quem somos
quão honestos e gentis podemos ser

quem fez da nossa vida um estepe
e quem fez dela uma ponte".



- Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente

"Somos irresistivelmente atraídos por quem nos trará os problemas
que necessitamos para nossa evolução".

- Alejandro Jodorowsky


domingo, 26 de julho de 2020

"Não guarde nada para uma ocasião especial.
Estar vivo é a ocasião especial".

sábado, 25 de julho de 2020

"Apenas tão alto quanto alcanço é que posso crescer.
Apenas tão longe quanto procuro é que posso ir.
Apenas tão profundo quanto enxergo é que posso ver.
Apenas tanto quanto sonho é que posso ser".   

sexta-feira, 24 de julho de 2020

"Pare de fazer essas 5 coisas: 1. Tentar agradar a todos. 2. Temer a mudança. 3. Viver no passado. 4. Colocar-se para baixo. 5. Pensar demais". 

quinta-feira, 23 de julho de 2020

De acordo com a Teoria triangular do amor de Sternberg, o amor tem 3 aspectos:
❤️Intimidade (elemento emocional): envolve autorrevelação, que leva à ligação, ternura e confiança.
❤️Paixão (elemento motivacional): baseia-se em impulsos interiores que traduzem a excitação fisiológica em desejo sexual.
❤️Compromisso (elemento cognitivo): é a decisão de amar e permanecer com a pessoa amada.


Padrões do amor:
Desamor: Os três componentes do amor - intimidade, paixão e compromisso - estão ausentes. Isso descreve a maioria das relações interpessoais, que são simplesmente interações causais.
Amizade: Intimidade é o único componente presente. Há intimidade, compreensão, apoio emocional, afeição, ligação e calor humano. Não há paixão nem compromisso.
Paixão: A paixão é o único componente presente. Este é o 'amor à primeira vista', uma atração física e excitação sexual fortes, sem intimidade ou compromisso. A paixão pode acender-se repentinamente e, do mesmo modo, extinguir-se - ou, dadas certas circunstâncias, às vezes pode durar um longo tempo.  
Amor vazio: Compromisso é o único componente presente. O amor vazio é encontrado com frequência em relacionamentos duradouros que perderam tanto a intimidade quanto a paixão, ou em casamentos arranjados.  
Amor romântico: Intimidade e paixão estão presentes. Os amantes são atraídos um pelo outro fisicamente e estão emocionalmente ligados. Entretanto, não estão mutuamente comprometidos. 
Amor companheiro: Intimidade e compromisso estão presentes. Esta é uma amizade comprometida, de longo prazo, que ocorre com frequência em casamentos nos quais a atração física se esgotou, mas os parceiros se sentem mutuamente íntimos e tomaram a decisão de permanecer juntos. 
Amor instintivo: Paixão e compromisso estão presentes sem intimidade. Este é o tipo der amor que leva a um namoro-relâmpago, no qual o casal assume um compromisso com base na paixão sem se permitir o tempo necessário para desenvolver intimidade. Este tipo de amor geralmente não dura, apesar da intenção inicial de comprometer-se.  
Amor verdadeiro: Os três componentes estão presentes neste amor 'completo', pelo qual muitas pessoas se esforçam, especialmente nos relacionamentos amorosos. É mais fácil atingi-lo do que mantê-lo. Ambos os parceiros podem mudar o que desejam da relação. Se o outro parceiro também mudar, o relacionamento pode sobreviver de uma forma diferente. Se o outro parceiro não mudar, o relacionamento pode se dissolver.  


In: Papalia - Desenvolvimento Humano (p. 495).


quarta-feira, 22 de julho de 2020

"Pessoas vão e vem. Você fica. Trate-se bem". - By Nina

terça-feira, 21 de julho de 2020

O último a lembrar de nós ____ Martha Medeiros


"Recentemente li Rimas da Vida e da Morte, do excelente Amós Oz, que narra os delírios de um escritor que, ao participar de um sarau literário, começa a olhar para cada desconhecido na plateia e a criar silenciosamente uma história fictícia para cada um deles, numa inspirada viagem mental. Lá pelas tantas, em determinado capítulo, o autor comenta algo que sempre me fez pensar: diz ele que a gente vive até o dia em que morre a última pessoa que lembra de nós.

Pode ser um filho, um neto, um bisneto ou um admirador, mas enquanto essa pessoa viver, mesmo a gente já tendo morrido, viveremos através da lembrança dele. Só quando essa pessoa morrer, a última que ainda lembra de nós, é que morreremos em definitivo, para sempre. Estaremos tão mortos como se nunca tivéssemos existido.

Pra minha sorte, tive poucas perdas realmente dolorosas. Perdi um querido amigo há mais de 20 anos, e perdi uma avó que era como uma segunda mãe. Lembro deles constantemente, sonho com eles, busco-os na minha memória, porque é a única homenagem possível: mantê-los vivos através do que recordo deles.

Daqui a 100 anos, ninguém mais se lembrará nem de um, nem de outro, eles não terão mais amigos, netos ou bisnetos vivos, eles estarão definitivamente mortos, e pensar nisso me dói como se eles fossem morrer de novo.

Aquele que compõe músicas, faz filmes, escreve livros, bate recordes ou é um Pelé, um Picasso, um Mozart, consegue uma imortalidade estendida, mas, ainda assim, será sempre lembrado por sua imagem pública, não mais a privada, não mais a lembrança da sua voz ao acordar, da risada, do bom humor ou do mau humor, não mais daquilo que lhe personificava na intimidade.

Serão póstumos, mas não farão mais falta na vida daqueles com quem compartilharam almoços, madrugadas, discussões, já que essas testemunhas também não estarão mais aqui.

Alguém me disse: se você acreditasse em reencarnação, nada disso te ocuparia a mente. De fato, não acredito, e mesmo que eu esteja enganada, de que me serve a eternidade sem poder comprová-la? Se sou um besouro reencarnado ou se já fui uma princesa egípcia, que diferença faz? Minha consciência é que me guia, não minhas abstrações. Sou quem sou, sou aquela que pode ser lembrada. Não me conforta ser uma especulação.

É provável que ainda não tenha nascido aquele que será o último a me recordar, a rever minhas fotos, a falar bem ou mal de mim. Nem tive netos ainda. Qual será a data de minha morte definitiva? Não será a do meu último suspiro, e sim a do último suspiro daquele que ainda me carrega na sua lembrança afetiva – ou no seu ódio por mim, já que o ódio igualmente mantém nossa sobrevivência. Cafajestes e assassinos também se mantêm vivos através daqueles que lhes temeram um dia.

Nessa véspera de Finados, queria fazer uma homenagem a ele: ao último ser humano a lembrar de nós, a ter saudade de nós, a recordar nosso jeito de caminhar, de resmungar, o último a guardar os casos que ouviu sobre nós e a reter nossa história particular.

O último a pronunciar nosso nome, a nos fazer elogios ou a discordar de nossas ideias. O último a permitir que habitássemos sua recordação. Bendita seja essa criatura, que ainda nos manterá vivos para muito além da vida.

Bendita seja essa criatura, que ainda nos manterá vivos para muito além da vida".

Zero Hora – 01/11/2009


segunda-feira, 20 de julho de 2020

"Às vezes você precisa apenas seguir. Não se aborrecer e nem ficar procurando entender.
Apenas seguir". 

domingo, 19 de julho de 2020


“[...] num ano já antigo, minha avó que era a dona da loja de velhos ficou muito velhinha também. Só que nenhuma das coisas da loja resolviam, porque o problema era dentro da cabeça dela.
Minha mãe disse na época que era porque a vovó era inteligente demais, daí tinha gastado a cabeça mais cedo do que devia, e eu fiquei com medo de ser inteligente.[...]
Um pouco antes de morrer, a vovó já sem andar [...], e ela me olhou, e falou bem baixinho e triste, o olho cheio de água: Antônio nunca me amou.
Eu senti um monte de coisa ao mesmo tempo. Primeiro que eu precisava dizer que sim, imagina, o vovô amou muito a senhora. Só que era a primeira vez que me diziam que era possível passar 60 anos ao lado de alguém sem amor. O vovô de fato parecia ter sido um homem que não amou ninguém.
Também percebi que obviamente é isso que vai acontecer comigo, eu vou morrer sozinha, sem cabelo, e mesmo muito confusa ainda vou ter espaço pra essa dor, essa coisa total que vai ser a minha solidão.
E também pensei que isso de não ser amada pelo marido era gravíssimo, porque minha avó estava ali com uma porção de problemas, dores no corpo, fraldas, engasgos, a morte, e a única coisa que a faz parar e pensar e chorar foi esse homem que já tinha morrido e talvez nunca de fato tivesse amado mesmo. 
Não consegui dizer nada, e acho que disso eu já tenho aquele arrependimento. Não senti que eu tinha idade pra dizer a uma mulher qualquer coisa sobre isso. E ela continuava me olhando, talvez esperando uma resposta, é só isso que ela precisava, como se eu fosse um anjinho flutuando do lado da cama, e bastava que eu dissesse com muita convicção que ela tinha vivido a mais bonita história de amor de todos os tempos, e talvez ela tivesse morrido feliz.
Mas eu não disse nada. [...].  
Ficou sendo meu segredo, minha grande falha. O dia em que a vovó só precisava de uma mentira, e eu não tive coragem”.


- Mariana Salomão Carrara em "Se Deus me chamar não vou" (p. 64-67).


sábado, 18 de julho de 2020

"As mais belas histórias tem começo, medo e sim".
- Life on a draw

sexta-feira, 17 de julho de 2020

“Disse que os Planos são uns moços muito bonitos que ficam caminhando em volta da cabeça dos jovens e vão sumindo bem devagar, ninguém percebe, e a pessoa acorda um dia que nem minha mãe com muitas saudades deles, mas não tem mais nada, os Planos todos desapareceram e ninguém sabe dizer exatamente quando”.

- Mariana Salomão Carrara em "Se Deus me chamar não vou" (p. 16).


.

quinta-feira, 16 de julho de 2020

"Viver é um risco contínuo, mas não é uma reta"

quarta-feira, 15 de julho de 2020

"Se for preciso abrace o tempo e tire ele para dançar.
Saiba que uma hora todas essas coisas vão passar.
A vida me disse que não há mal que não tenha fim.
Enquanto isso cuide de você.
Enquanto isso, te peço com meu coração:
Não se torne aquilo que te feriu".

- Fernando Suhet